Cia do Pássaro – Voo e Teatro abre inscrições para curso com historiador e pesquisador Bruno Véras

Cia do Pássaro – Voo e Teatro abre inscrições para curso com historiador e pesquisador Bruno Véras

Espetaculo Baquaqua - Foto Felipe Stucchi (2)

Bruno Véras é responsável por traduzir para a Língua Portuguesa a única autobiografia de um homem escravizado no Brasil e trabalhou com a Cia do Pássaro na criação da peça Baquaqua, inspirada nesta obra. O curso é gratuito e destinado a educadores, pesquisadores e professores interessados no tema.

No mês em que se convencionou comemorar a Abolição da Escravatura a Cia do Pássaro abre inscrições para curso sobre a Diáspora Africana no Brasil

Estão abertas as inscrições para participar do curso “A Diáspora Africana no Brasil: entre números, biografias e a sala de aula”, que será ministrado no dia 02 de junho, na sede da Cia do Pássaro – Voo e Teatro, no Centro da cidade de São Paulo, pelo historiador e pesquisador Bruno Véras.

Bruno Véras, que foi Consultor de Estudos Afro-brasileiros da UNESCO em 2013, é um grande estudioso sobre a história de Mahommah Gardo Baquaqua, africano escravizado nas Américas, que foi enviado ao Brasil em um navio negreiro em 1845 e escreveu um relato de suas experiências de vida, publicado em 1854.

Esses relatos deram origem à única autobiografia escrita por um homem escravizado no Brasil de que se tem notícia até hoje: “An interesting narrative: Biography of Mahommah G. Baquaqua”, obra traduzida para a Língua Portuguesa por Véras, que junto com os pesquisadores Robert Krueger e Paul Lovejoy, coordena o Projeto Baquaqua, uma iniciativa que conta com o patrocínio e apoio do Ministério da Cultura e do Governo Federal, da Universidade Federal de Pernambuco, da York University do Canadá, e do The Harriet Tubman Institute for Research on Africa and its Diaspores. Trata-se de uma ação que tem o propósito de ser tanto uma ferramenta de atuação política no campo da educação e arte quanto, um espaço de debate e de construção acadêmica sobre a única obra biográfica publicada sobre um africano escravizado no Brasil (www.baquaqua.com.br).

Espetaculo Baquaqua - Foto Felipe Stucchi (3)

A obra e o contato com o Projeto Baquaqua acabaram inspirando a Cia do Pássaro – Voo e Teatro a criar o espetáculo “BAQUAQUA – Documento Dramático Extraordinário”, em que Véras foi convidado a realizar a assessoria de toda a pesquisa base para este processo de criação.

Quem assina a dramaturgia do espetáculo são Dawton Abranches Dione Carlos, “uma das seis autoras expoentes da nova geração de artistas que está produzindo espetáculos na Capital” (Folha de São Paulo, Revista São Paulo, 01 de Outubro de 2017).

A montagem que estreou em 2016 com enorme sucesso de público e de crítica, será apresentada no mesmo dia do evento para os participantes do curso.

Véras, pesquisador brasileiro atuando no Canadá com o “Projeto Baquaqua”, virá ao Brasil especialmente para ministrar este curso sobre a Diáspora Africana no Brasil, que é direcionado a educadores, pesquisadores da área e professores dos ensinos fundamental e médio das disciplinas inseridas no campo das linguagens e Ciências Humanas.

“As reminiscências de M. G. Baquaqua formam um relato particularmente importante da diáspora africana. A partir destes relatos, foi criado o projeto Baquaqua. Tal como outros escritos biográficos, este nos permite ver o indivíduo para além do escravizado e do contexto da escravidão. O Projeto Baquaqua se pretende uma chance de imaginar, aprender e compreender e, através do senso de alteridade, a construir empatias e identificação.”

 A ação das parte do projeto da Cia Pássaro – Vôo e Teatro contemplado pela 6a Edição do Prêmio Zé Renato de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.  

Curso com Bruno Véras – “A Diáspora Africana no Brasil: entre números, biografias e a sala de aula (lei 11.645 LDB)”
Quando: 02 de junho de 2018

Horário: das 10h às 18h – Duração: 08h – Intervalo de 01h para o almoço, que será custeado pelo projeto.
Vagas: 50 (a serem preenchidas por ordem de inscrição)
Gratuito

Haverá certificado de participação

Link para inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1zDMm62PrswoDhFnd8PAWuMDVL2eB7XfDZjI4tPosYBY/prefill

Conteúdo Programático: O curso tem como marco temporal de seus conteúdos a primeira metade do século XV até meados do século XIX, período que se convencionou chamar do período do tráfico atlântico de escravos. Nestes 400 anos, cerca de 12 milhões de homens, mulheres e crianças foram forçadamente transferidos para outros continentes na condição de escravizados. O Brasil foi responsável pela escravização de cerca de 4,8 milhões de africanos. O objetivo é compreender os números referentes à diáspora africana, tomando como variáveis analíticas as categorias de gênero e etnicidade, para um melhor entendimento das experiências individuais dos africanos no supracitado período. Serão debatidos os temas: A diáspora Africana e a sala de aula: marcos legais e educacionais, O tráfico africano de pessoas: entre os números e o recorte étnico e de gênero (séc. XV-XIX), O tráfico ilegal de escravos no Brasil pós-1830 e os Africanos Livres (ferramentas digitais/ didáticas), Biografias e estudos de caso: Mahommah Gardo Baquaqua, de Djogou, O Alufá Rufino, de Oyo, Domingos Álvares, do Golfo do Benim.

Sobre o ministrante: Bruno Véras, é estudioso sobre a história de Mahommah Gardo Baquaqua, pós-doutorando na Universidade de York (Canadá) e possui Graduação (Bacharelado e Licenciatura) em História e Mestrado em História Social pela Universidade Federal da Bahia. Pesquisador associado do Harriet Tubman Institute, no Canadá e do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de Pernambuco (NEAB-UFPE). Possui experiência como professor de Didática do Ensino Superior no curso de Especialização em História da África (2015) – FUNESO e em monitoria em História da África e História da Cultura pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Coordenador do Baquaqua Project (2014-2016) pelo Ministério da Cultura, Brasil. Membro da Produção do Projeto África Aparece, Mais Cultura nas Escolas (2014-2015) – MEC / MinC, Brasil. Consultor de Estudos Afro-brasileiros da UNESCO (2013) – ONU/FUNDAJ. Diretor e roteirista do Documentário “Memórias do Sagrado no Recife” (2014-2015). Possui apresentações em conferências em Toronto (Canada) e Nova York (Estados Unidos).

Apresentação do Espetáculo – “Baquaqua – Documento Dramático Extraordinário”

Com a Cia do Pássaro – Voo e Teatro

Sinopse: Mais de 160 anos após a publicação da única autobiografia conhecida de um africano que foi escravizado no Brasil, a Cia do Pássaro traz aos palcos a história de Mahommah Gardo Baquaqua, que permanece sendo escrita até hoje.

Quando: 02 de junho de 2018

Horário: às 19h00

Ingressos Gratuitos

Onde: Sede da Cia do Pássaro – Voo e Teatro – Rua Álvaro de Carvalho177 – Centro – São Paulo – SP (05 minutos do metrô Anhangabaú).

“Sagrado Marfim –” destaca a historicidade de peças que remontam à antiguidade, às artes africana e asiática, até aos objetos artísticos e litúrgicos na Europa medieval e moderna

 

 

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO EXIBE RARIDADES EM MARFIM 

 

“Sagrado Marfim –” destaca a historicidade de peças que remontam à antiguidade, às artes africana e asiática, até aos objetos artísticos e litúrgicos na Europa medieval e moderna 

Sagrado Marfim.10

 

Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, inaugura “Sagrado Marfim: O Avesso do Avesso“, sob curadoria de Jorge Lúzio Maria Inês Lopes Coutinho. Composta por cinquenta e três peças do acervo do MAS/SP, a mostra propõe repensar o uso do marfim nas obras de arte e em seus desdobramentos iconográficos, destacando sua historicidade que remonta à antiguidade, às artes africana e asiática, até aos objetos artísticos e litúrgicos na Europa medieval e moderna – o que reverbera nas produções encontradas em inúmeras sociedades interligadas pelo sistema colonial. 

 

Sagrado Marfim.8

 

Raras obras de arte, de tamanhos diversos, com exemplares dos séculos XVII, XVIII e XIX. A partir de uma perspectiva histórica, esta nova mostra do Museu de Arte Sacra de São Paulo foi concebida no intuito de estimular diálogos multidisciplinares com a História Social da Arte, a Antropologia, a Museologia, os Estudos Afro-asiáticos, a História Ambiental, o Patrimônio e a Arte Sacra. Nos dizeres de José Carlos Marçal de Barros, diretor executivo do MAS/SP: “Segundo o Antigo Testamento, o Rei Salomão mandava trazer marfim de Társis, nas rotas do Oriente. Fídias, o incomparável artista grego, utilizou marfim em uma das mais importantes estátuas da Grécia Antiga, a Atena Pártenos, para homenagear a deusa no Partenon. E em tempos mais recentes, o magnífico Demetre Chiparus utilizava metal e marfim em suas estatuetas indiscutivelmente belas. As obras mais afamadas são as chamadas criselefantinas em bronze e marfim. Tão rica e antiga é a utilização do marfim em obras de arte que uma exposição que pretendesse apresentar a sua história seria praticamente impossível“.

 

Sagrado Marfim.5 (1)xx

"Conjunto do Desterro" (Nossa Senhora do Desterro, São José Peregrino e o Menino Jesus), autor desconhecido (Século XIX)

Exposição: “Sagrado Marfim: O Avesso do Avesso 

Curadoria: Jorge Lúzio e Maria Inês Lopes Coutinho 

Abertura: 19 de maio de 2018, sábado, às 11h 

Período: 20 de maio a 5 de agosto de 2018 

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo – www.museuartesacra.org.br 

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)  

Tel.: 11 3326-5393 – agendamento / educativo para visitas monitoradas  

Horário: Terça-feira a domingo, das 9 às 17h (bilheteria das 9 às 16h30)  

Ingresso: R$ 6,00 (estudantes e idosos pagam meia); grátis aos sábados 

 

Circo di Sóladies leva Bloco Unidas Seguiremos para o SESC Pompeia

Circo di Sóladies leva Bloco Unidas Seguiremos para o SESC Pompeia

 

IMG_1266 cana

Com um Carnaval fora de época o Circo di Sóladies – um circo formado apenas por mulheres – subverte as tradicionais marchinhas carnavalescas e convida o público a refletir sobre o machismo e o gênero feminino!

Bloco de Palhaçaria Feminina convida adultos e crianças para reinventar antigas marchinhas de Carnaval

No dia 20 de maio (domingo) o Circo di Sóladies se apresenta às 14h00 no SESC Pompeia e convida o público de todas as idades para refletir sobre o gênero feminino de forma lúdica e encantadora, através de um encontro com a arte do palhaço.

Neste dia, o grupo faz um cortejo na Rua Central, que fica dentro do SESC Pompeia, com o Bloco Unidas Seguiremos, um bloco de carnaval de palhaçaria feminina que tem como objetivo reinventar as antigas marchinhas, muitas vezes de cunho machista, alertando para igualdade de gênero e valorizando a potência de tudo o que se levanta como gênero feminino. OBloco Unidas Seguiremos é composto apenas por mulheres palhaças musicistas que tocam instrumentos típicos do carnaval.

carnaval_soladies_CarlaLima02 (1)

Um grupo de palhaças sai do circo para brincar no carnaval e se dá conta do machismo contido nas marchinhas. De uma maneira divertida e irreverente, elas subvertem a lógica e convidam o público a cantar o mais novo repertório do grupo.

Utilizando camadas simbólicas e através da comicidade, o grupo surpreende por tratar de temas que geralmente são considerados complexos, com muita delicadeza e poesia. E através do riso, inspiram reflexões sobre o lugar da mulher em nossa sociedade e sobre o poder do gênero feminino.

De forma leve e divertida o Circo di Sóladies dialoga e envolve os públicos de todas as idades. Com grande interação com a plateia, as palhaças levam o universo feminino em sua trajetória cômica, divertindo crianças, jovens e adultos.

As palhaças procuram inspirar adultos e crianças a repensar a forma como as marchinhas são cantadas, além de proporcional um domingo diferente com um grande Carnaval fora de época.

Um Circo feito por mulheres para todos os públicos

Circo di SóLadies desde 2013 feito por mulheres – palhaças, atrizes, musicistas, pesquisadoras e realizadoras – para todos os públicos. As artistas Kelly Lima, Lilyan Teles, Tatá Oliveira e Verônica Mello criaram o grupo a partir das inquietações em relação a desigualdade de gênero e da percepção de que havia ainda um pequeno espaço dado à mulher tratando-se de comicidade e linguagem do palhaço.

As artistas desenvolvem o repertório do grupo através do improviso e do jogo cênico com elementos fundamentais para a conexão e interação com o público, a conquista do estado da graça, do riso e da reflexão sobre o papel da mulher na sociedade.

Bloco Unidas Seguiremos

Um grupo de palhaças sai do circo para brincar no carnaval e se dá conta do machismo contido nas marchinhas. Elas subvertem a lógica e convidam o público a cantar o mais novo repertório do Circo di SóLadies. Duração: 60 min  – Classificação: Livre – Entrada Gratuita

Quando: 20 de maio de 2018 – Domingo – Horário: 14h00

Local: SESC Pompeia – Rua Central – Endereço: Rua Clélia, 93 – Pompeia, São Paulo – SP, 05042-000

Fotos: Carla Lima

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini – Cel 99568-8773 – lucigandelini@gmail.com

NA ERA DOS “ENTAS” OS ESTEREÓTIPOS, A BALANÇA E NÓS. VOCÊ ENGORDOU E NÃO NOTOU, POR ISSO TE AVISAM?

Mulher fatal

NA ERA DOS “ENTAS”

OS ESTEREÓTIPOS, A BALANÇA E NÓS.

VOCÊ ENGORDOU E NÃO NOTOU, POR ISSO TE AVISAM?

Não resisto em começar o texto com uma perguntinha básica: Por que as pessoas acham que as outras não tem espelho em casa, no carro, no trabalho, ou em outro local?

Caraca! (Vou usar essa palavra em respeito as vítimas.) (riso) Já não  basta nossos problemas, a luta diária para “encaixar” a calça, a cinta elástica, para esconder a barriga? Não! Pelo jeito não basta, porque  vem a porcaria (novamente sendo educada) da pessoa, para te avisar que você engordou…

400-06944796

As pessoas “sabichonas” que adoram avisar as supostas despercebidas que elas estão acima do peso, se acham gabaritadas para enquadrá-las , pois se acham acima dos psicólogos, psiquiatras, endocrinologistas, e de outros profissionais habilitados.

Engraçado, esse dom mediúnico que esses seres acham que desenvolveram, ficam transtornados quando nós, simples mortais, respondemos de imediato que não estamos interessados em sua opinião. Ah… quem nunca ouviu o ser “mediúnico ” responder: Não precisa falar assim, só estou comentando. Ou, então: sua grossa, só fiz um comentário para seu próprio bem. (Hã?)

Ai, ai ,ai! Há alguns meses, ao visitar uma parente que, aliás, quase não vejo, mas que, por insistência dela, atravessei a cidade… Gente, juro que não demorei mais do que sete minutos na casa dela. Eu sou assim mesmo, não sou de dar a outra face, ou de fingir que está tudo bem, e ficar ouvindo o que não gosto.

Com dois minutos que sentei na porcaria da cadeira, ela já disparou: “Nossa, você engordou, hein?”

Na hora pensei: mando ela pra aquele lugar? Melhor, não! Resolvi, então, falar com Deus internamente, respirar fundo, deixar meus conceitos de lado, e respondi, educadamente: “pois é, esses dias estou “brigando” com a balança.

Mas a figura não se conteve, e retrucou imediatamente: “Brigando? Olha, minha filha, (ah… não foi minha mãe, não, tá? (riso) você tem que fechar a boca, só isso resolve.

balanca 2

As pessoas que me conhecem, nesse instante devem estar imaginando minha cara. Aff, vai vendo, fui deixar de lado meus conceitos e ser educada, deu no que deu. (riso) Acho que ela não percebeu que eu estava sendo só  educada, e fui saindo.

A figura ainda disparou: ”Ah, por que você está indo embora? Mano, (riso) nem respondi, fui embora  e não voltei mais.

Bom… vários são os fatores que influenciam na alteração do peso, sejam emocionais, de saúde ou outros. Não vou me atear a isso, pois o foco é outro, e apenas como caráter informativo, no episódio acima, estava enfrentando uma infecção no nervo que envolve a face, em função de uma restauração dentária duvidosa, em que tive que ser medicada, por cinco meses, com remédios que fizeram meu corpo inchar (uma semana depois do problema resolvido, cinco quilos sumiram).

Enfim, não temos o poder para saber o que a outra pessoa está passando, seja relacionado ao peso, ou a outra questão, então, você que se sente um “ser mediúnico”, gabaritado para dar puxões de orelha em outra pessoa que esteja acima do peso, CALE A BOCA e vá se olhar no espelho, pois com certeza você tem outros problemas internos para administrar.

Desabafei, como diz minha miga Nany People, que aliás está magérrima e linda: “ACEITA QUE DOI MENOS.”

E aí? Tá a fim de exteriorizar uma bronca recebida por algum “ser gabaritado” que não se conteve em te avisar sobre a balança? Me conta!

Por: Cristiane Bortolossi

Lançamento do livro “Segredos de Reputação Online” 

Lançamento do livro “Segredos de Reputação Online” 

unnamed (4)

Fernando Azevedo, sócio da empresa da empresa de Reputação Online Silicon Minds, acaba de lançar o livro Segredos de Reputação Online exclusivamente na Amazon em formato Kindle e impresso
Segundo o autor, Notícias, posts em blogs, postagens em mídias sociais e até imagens podem influenciar sua reputação online em mecanismos de busca e tópicos de mídia social. Reputação online hoje é interessante para qualquer um e indispensável para celebridades, políticos e grandes empresários. O livro mostra as táticas corretas e o que poderia ser feito errado. Este é um novo problema que pais e gerentes de RP podem não estar totalmente preparados para lidar.
Neste livro, ele está compartilhando estratégias e ferramentas legais e legítimas que ele usa no gerenciamento de reputação online para casos de cyberbullying, executivos, celebridades, políticos e empresas.
Fernando também expõe outras ferramentas que, segundo ele, devem ser consideradas ilegais, embora sejam ferramentas livremente disponíveis.
O objetivo desta seção é apenas para informação e defesa de leis que devem ser criadas para impedir essas ameaças.
Segundo o autor, o livro não deve ser usado para atividades ilegais on-line.
O livro aborda:
• O que é o Gerenciamento de Reputação Online e como funciona
• Negociando Notícias Negativas
• Usando a Otimização do Mecanismo de Pesquisa para Reputação Online
• Gerenciando avaliações
• Casos de sucesso • Casos com falha
• Administração de Crises
• Rede de Persuasão
• ferramentas Kali Linux
• muito mais
Fernando Azevedo, que também presta serviço de defesa contra Fake News para políticos e celebridades, também está lançando um livro sobre Fake News, que estará disponível sobre em português em breve.
Até o final do ano, Fernando tem a previsão de lançar mais 3 livros: “Hackers Expostos – como hacker ganham dinheiro na Internet”, “Guia de Cyberbullying para pais” e “O segredo que as Ferramentas de Busca não querem que você saiba”.
Perguntado sobre as práticas da Cambridge Analytica em eleições, Fernando afirma que a Silicon Minds não usa nenhuma tática ilegal ou sem ética. Afirma que, pelo contrário, Silicon Minds e ele são defensores de uma internet mais segura e o fim de prática anti-éticas e manipulativas.
O livro está disponível na Amazon Brasil
Fernando Azevedo é um engenheiro eletrônico, elétrico e de produção formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Ele é graduado em MBA Fundação Getúlio Vargas. Atuou como um programador instrutor na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro há 7 anos.
Publicou seu primeiro livro “Macros for Excel hands on” pela Editora Campus / Elsevier aos 27 anos. O livro ainda é vendido no Brasil e em Portugal.
Seu primeiro negócio de startups ganhou um prêmio do Instituto Federal  Brasileiro FINEP.
Veio para os Estados Unidos em 2014, Fernando estudou Desenvolvimento na Web e Tecnologias da Internet na University of California Santa Cruz – Extensão do Vale do Silício e também “Certificação de Inovação e Empreendedorismo” da Universidade de Stanford.
Fernando tem sido destaque várias vezes na mídia e televisão. Ele foi entrevistado como especialista em sua área pela Forbes, O Empreendedor, el Nuevo Herald e muitos outras grandes empresas de mídia brasileiras.
Hoje, Fernando dirige duas empresas de marketing na internet nos Estados Unidos e tem clientes em muitos países. As empresas oferecem serviços como internet marketing, SEO, Gerenciamento de Reputação online, teste de intrusão, auditoria de sistemas, e-commerce, aplicativos e outras atividades relacionadas à Internet.
Ele também é instrutor de desenvolvimento web para IronHack e fala semanalmente na Radio Gazeta.
Fernando se considera um hacker ético e pensa que a internet deveria ser um lugar mais seguro. Ao se posicionar contra todas  as atividades antiéticas online que ainda estão presentes hoje, ele espera que as pessoas e legisladores possam tomar consciência sobre essas ameaças  e possam ajudar a criar leis para um mundo mais seguro. Este livro é uma série de cinco livros relacionados a tecnologias da Internet e como funciona a internet. Se você gostou deste livro, por favor confira outros livros do mesmo autor.
Sobre: 

Silicon-Minds busca maneiras efetivas para marcas e pessoas físicas conquistarem uma presença positiva online, por meio de E-Commerce, Seo, Apps e Online Reputation. A empresa de Reputação Online é americana, fundada em 2014 por brasileiros, com sede em Miami e Vale do Silício.

A inovação que apresenta ao mercado brasileiro, Reputation, consiste em manter uma reputação online positiva de maneira constante, uma vez que a necessidade em ter uma boa reputação pode aparecer em qualquer momento. Veja exemplos:

  • Solicitação de faculdade no exterior
  • Abrir uma empresa
  • Preservar e proteger o status social e familiar
  • Participação em concursos públicos ou privados
  • Concorrendo em cargos eletivos ou políticos
  • Networking
  • Novos Negócios
  • Obter um empréstimo
  • Captação de recursos
  • Compra de imóvel
  • Atrair novos clientes

 

silicon-minds.com | 415 316 7363

Super Racing Clube

Super Racing Clube – Já imaginou fazer parte de um clube em que poderá acelerar diferentes carros de corrida e em várias pistas? 

unnamed (5)
Super Racing Clube – Já imaginou fazer parte de um clube em que poderá acelerar diferentes carros de corrida e em várias pistas?

Super Racing Clube pela primeira vez em Interlagos, (SP), de 4 a 6 de Maio. Já imaginou fazer parte de um clube onde você paga uma mensalidade e pode acelerar diferentes carros de corrida, em várias pistas? 

Quem quer ser piloto de corrida e deseja acelerar no maior autódromo do Brasil tem uma grande oportunidade agora no início de maio.

Já pensou em pilotar um carro de corrida em Interlagos? Isso mesmo:  sentir as emoções de fazer o “S” do Senna, a reta oposta, café, laranjinha…entrar rasgando na reta principal! Pois você tem uma grande chance agora no início de maio: está chegando pela primeira vez em SP uma etapa do Super Racing Clube, que reúne sócios apaixonados por velocidade para curtir um dia de piloto numa pista profissional. O evento acontece nos próximos dias 4,5 e 6, das 9h às 17 horas.

Quem gosta de acelerar sabe a dificuldade que é levar um carro para a pista: mecânica, logística, pitstop, inscrições, ambulância, amigos pra acelerar junto, fora o custo da própria pista. O Super Racing Clube resolve todos estes problemas e você vai viver a emoção de dirigir os carros mais poderosos do mundo em pistas de alta velocidade, com o conforto e comodidade sem ter que se preocupar com nada. Além de entrar no carro dos seus sonhos, apertar o cinto e acelerar.

O clube conta com vários carros, que estão disponíveis para os sócios ou participantes durante os eventos: Trofeo Maserati, Ferrari 430 GT3, Stock Car V6, Stock Car V8, Marcas 1.6, DTM pick-up e  Protótipo Spide. Conta também com pilotos profissionais e instrutores que ministram cursos práticos e teóricos  durante o final de semana do evento.

Os eventos são bem organizados, com longe VIP, café da manhã, almoço, café da tarde Premium, simulador, tudo ao som de DJs exclusivos para que cada sócio ou convidado possa aproveitar ao máximo a experiência.

Sócio

O Super Racing Clube funciona como um clube mesmo, com pagamento de mensalidade. Para participar basta entrar de sócio. No plano estão inclusas 120 voltas no carro da categoria, que podem ser consumidas entre 3 a 12 dias de eventos. Serão oferecidos 30 dias de eventos no período de até 24 meses em diferentes autódromos do Brasil.

O sócio tem também outras vantagens como a possibilidade de levar 2 acompanhantes, rodar na pista com carro próprio, comprar voltas extras com desconto e acelerar máquinas diferentes. E quem não é piloto está incluso também o curso de pilotagem.

Convidado

Quem ainda não é sócio também pode participar do evento como convidado. Nessa primeira etapa de Interlagos, o Super Racing Clube preparou uma oferta especial: curso de pilotagem com parte teórica, 3 voltas de carona na DTM pick-up, mais 10 voltas pilotando a DTM e mais 3 voltas de carona no Trofeo Maserati por R$ 1.280,00. O pagamento pode ser parcelado e vale para os três dias de evento. Mas atenção: as vagas são limitadas!

As inscrições estão abertas e maiores informações em

superracingclube.com.brou contato@superracingclube.com.br.

Elba Ramalho Eletro Acústico – 08 de maio no Teatro Porto Seguro

Elba Ramalho

Eletro Acústico

ELBA 01 (1)

 

Uma das cantoras mais premiadas da MBP e ganhadora de dois Grammys Latino, Elba Ramalho sobe ao palco do Teatro Porto Seguro no dia 08 de maio para única apresentação, do seu show Eletro Acústico.

O público verá Elba cantando sucessos dançantes, de uma forma mais intimista em um momento de comunhão artista-plateia. Ela estará mais perto das pessoas, conversando, mostrando as canções românticas que embalaram dezenas de novelas e trazendo um pouco da alegria do Nordeste para São Paulo.

A mistura do som eletrificado com o acústico é uma característica marcante na sonoridade do espetáculo. Os grandes sucessos não ficam de fora: “Gostoso Demais”, “Aconchego”, “Dia Branco”, “Chão de Giz”, “Bate Coração”, “Sabiá”, “Banho de Cheiro” e “Frevo Mulher” e muito mais.

FICHA TÉCNICA

Vocalista/Guitarra: Elba Ramalho
Violão/ Guitarra: Marcos Arcanjo
Sanfona: Rafael Meninão
Contrabaixo: Ney Conceição
Percussão: Anjo Caldas
Operador de Monitor: Flávio Rego

Operador de PA: Mário Andrade
Design de Luz: Jarbas Goudard
Roadie: Alex Cunha
Make up: Rodrigo Farias
Produtora Executiva: Carolina Tardin

Terence Entretenimento
Designer gráfico: Erik Almeida
Assessor de imprensa: Fabio Camara
Produtora administrativa e de camarins: Priscila Mesquita
Produtor técnico: Ronny Vieira
Diretor de Produção: Waldir Terence

SERVIÇO:

LOCAL: Teatro Porto Seguro (Rua Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos), 496 lugares.

DATA: 08/05 (Terça 21h).

INGRESSOS: Plateia – R$ 180,00 (inteira) e R$ 90,00 (meia entrada)

Balcão e frisas – R$ 150,00 (inteira) e R$ 75,00 (meia entrada)

INFORMAÇÕES: (11) 3226 7300 e www.tudus.com.br

NA ERA DOS “ENTAS” – O TIPO IDEAL, EU X FETICHE

NA ERA DOS “ENTAS”

EU X FETICHE, O TIPO IDEAL

 Mulher fatal

Quantas vezes nos vemos respondendo para alguém, ou para nós mesmas, sobre o tipo ideal de homem que gostamos; sobre os fracassos nas relações ou por que insistirmos em algo ou em determinado tipo de pessoa.

Caramba, geralmente isso ocorre por diversas vezes. Bom… Em determinado momento da minha vida, resolvi analisar minha vida sentimental e, claro, ir mudando as táticas e os meus tipos ideais, ah… gosto de homens, de preferência, os galantes, cultos, calientes… Isso não mudou. (riso)

Biótipos

Pois bem, vamos lá! Já curti nenéns (ops… não tão nenenzinhos, hein? Isso é apenas modo de falar, preciso deixar claro, se não, já viu, lá vem ações judiciais), mocinhos, trintões, quarentões, cinquentões, sessentões (67, meu último número). (riso)

Atualmente, por exemplo, estou na fase: retrocedendo do fetiche velhinho para o tipo cinquentão (sei lá, é possível). Talvez essa mudança seja porque, inconscientemente, caí “literalmente” do cavalo, ou melhor, da bengala com o último cruch quase sessenta, ou, de repente, porque a maré entornou mesmo (riso).

mulher

Como todas nós temos certas preferências, as minhas são de ter um cavalheiro para desfilar e um cafajeste para me agarrar, para eu beijar, pra gente se amarrar, pra gente se prender... Wow (e eles pensam que somente eles tem fetiche). (riso)

 

Mas, nem tudo são flores, não é mesmo? Seja pegando um novinho ou um velhinho. No meu caso, no meu último fetiche velhinho, parei para repensar e, após uma análise fria, decidi por deletar sumariamente a relação quando encarei de frente a imaturidade do cavalheiro.

Gente, se liga no que escrevi: IMATURIDADE do cavalheiro de quase 60 anos, oi? Quando parei para analisar, pensei: caramba, o que eu vou fazer com essa pessoa? Se fosse um novinho, poderia até pensar que ele amadureceria em alguns anos, mas uma pessoa com quase 60 anos, só podia acontecer o contrário, ou seja, simplesmente a lei da vida: sobraria pra mim a administração do lado rabugento, o zelo na dentadura, a massagem para melhorar o reumatismo e, quase por fim, as compras das fraldas. Aí pirei geral, e coloquei um basta!

O tempo vai passando, e as experiência vão nos fazendo traçar um perfil melhor do cara dos nossos sonhos, e dos nossos pesadelos. E isso é bem legal, pois com tantas opções nas redes sociais e nos sites de relacionamentos, é fundamental nos conhecermos para que possamos traçar o perfil ideal para cada uma de nós. O fato é que as prateleiras dos sites estão cheias, e não é preciso se contentar com embalagens vencidas, com rótulos enganosos, com perfumes enjoativos… Sabe por que? Porque se está na prateleira das redes sociais e dos sites de relacionamentos temos que explorar, pois ainda existem coisas muito boas no mercado. (risos).

 

E aí, qual o seu tipo ideal?

FETICHE

 

Não tenho um tipo ideal. Homens inteligentes e bem educados me atraem bastante. O homem ser íntegro e parceiro também é básico. Acho que quando somos mais novas nos importarmos mais com aparência. A maturidade te faz enxergar que uma linda embalagem sem conteúdo não vale de nada. Acredito que para uma relação funcionar os dois precisam querer muito. Exige paciência, respeito (isso, ou, qualquer encanto se quebra), e os dois terem o mesmo propósito de vida. Não tenho muito fetiche não! Pra mim a paixão em si já é afrodisíaca!

Maria P – Assessora de Imprensa

 

Não vou mentir, sempre gostei de homens inteligentes, bonitos e mais novos. Acho muito bom ter alguém ao lado, que seja companheiro, que me ajude e me incentive. Sempre é bom realizar fetiches com a pessoa que amamos.

Claudia Z – Assistente Administrativo

 

Não me interessa atualmente este assunto, estou bem assim. Em relacionamentos pessoas em geral para me fazerem felizes devem ser corajosas, altruístas, sorridentes, generosas, curiosas, limpas e respeitosas. Doçura e alegria caem bem, um toque de anticonformismo, que só pode ir junto com a curiosidade. Que saiba acreditar e duvidar com razão, que ame a natureza e por aí vai.  Corpos malhados demais não me atraem. Grosseria me repulsa. Liberdade é fundamental etc.

Virgnie – Cantora

 

Sim! Eu tinha preferência por bad boys ou cabeludos, guitarristas. A beleza era fundamental e eu não me importava de pagar a conta sozinha! (risos) A felicidade! Eu tenho que estar feliz, plena! Tenho que estar inteira, me sentir valorizada e amada… senão acaba! Perde o brilho, vira rotina. Fetiche? Com o passar do tempo e com os últimos acontecimentos (divórcio), eu não penso muito nisso… mas posso afirmar que ao mesmo tempo, ele fica mais ousado, mais elaborado, com várias possibilidades! Afinal, na casa dos “enta” eu vou esperar o que? Para que? Nessa idade a liberdade é pura libertinagem!

Ana Lucia L – Bancária

 

 

Por: Cristiane Bortolossi

Concerto de 50 anos da Fundação das Artes na Sala São Paulo marca noite histórica para a Instituição

Concerto de 50 anos da Fundação das Artes na Sala São Paulo marca noite histórica para a Instituição

 Douglas Almeida 2

Evento contou com a presença de autoridades locais, participação especial de músicos da Orquestra Sinfônica de São Paulo, do cantor João Bosco, apresentações de Teatro e Dança. Destaques para a participação das crianças e jovens das Cameratas de Cordas e 1400 convidados, entre familiares, convidados e público em geral.

Fundação das Artes celebra seus 50 anos em noite histórica na Sala São Paulo

No dia 25 de abril de 2018 – data oficial de seu aniversário – a Fundação das Artes de São Caetano do Sul, realizou uma grande celebração na Sala São Paulo que conectou gerações e diversas linguagens artísticas, para referenciar a memória de uma das instituições de formação em artes mais importantes do Brasil.

 39934693580_a3e14f95f3_o

Em parceria com a Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul e com o SESC-SPSESC São Caetano, Secretaria de Cultura de São Caetano do Sul, Secretaria de Cultura do Estado Fundação OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, o evento foi realizado em um dos melhores espaços para concertos do mundo, o que proporcionou aos estudantes uma vivência pedagógica muito peculiar e até inédita, já que muitos puderam realizar o sonho de tocar pela primeira vez em um dos espaços mais emblemáticos da música clássica, dividindo partituras com artistas renomados e músicos profissionais.

Com a amplitude da Sala São Paulo, a Fundação das Artes pode reunir simbolicamente em uma noite especial, toda a diversidade que a compõe. Entre participantes do evento, elenco e convidados, um clima de reencontro e de reconexão entre várias pessoas que de alguma forma já se relacionaram com a instituição em algum momento destes 50 anos.

Professores, funcionários, ex-estudantes da instituição, pessoas do bairro, artistas consagrados, crianças e jovens estudantes acompanhados de suas famílias, foram adentrando a Sala da São Paulo, junto com autoridades locais e outros convidados da instituição.

 Douglas Almeida 3

Abertura do evento aconteceu no Foyer da Sala São Paulo e foi realizada pelo Grupo Institucional de Dança da Fundação das Artes com uma apresentação ao estilo abre-alas que encantou o público.

Já no espaço principal, o público pode conferir outras apresentações da Escola de Dança da Fundação das Artes, entre elas um monólogo leve e muito poético da ária O Mio Babbino Caro, trecho de uma das mais belas obras de Giacomo Puccini.

Entre os discursos cerimoniais que marcaram a noite, uma fala de Danilo Santos de MirandaDiretor Regional do SESC-SP. Houve também uma salva de palmas do público presente, em uma grande homenagem aos funcionários e professores que estavam na cerimônia.

O Concerto de 50 anos da Fundação das Artes começou por volta de 21h00 e foi realizado sob a regência dos MaestrosGeraldo Olivieri e Ogair Junior. Com apresentações da Orquestra Jovem, Big Band Salada MistaCameratas de Cordas,Grupo de Percussão e Coro de Repertório da Fundação das Artes, o concerto contou com a participação especial de músicos convidados da OSESP – Orquestra Sinfônica de São Paulo e do cantor João Bosco.

Crianças e jovens, acompanhados de seus professores, outros estudantes e até ex-alunos da instituição, levaram para o palco a experiência que adquiriram durante a passagem pelos diferentes níveis de Cameratas de Cordas, que a Fundação das Artes peculiarmente propicia.

Entre os jovens integrantes da Camerata de Cordas, a participação histórica de Malka, compositora, instrumentista e estudante de viola de arco na Fundação das Artes, que foi a primeira trans a tocar no palco da Sala São Paulo. Sua participação, além de importante, marca uma reflexão necessária e quebra barreiras no cenário artístico.

Uma grande noite de comemoração repleta de significados, que uniu gerações e conectou diferentes linguagens artísticas, celebrando uma história que há 50 anos vem fomentando a cultura em sua diversidade, colaborando com o estímulo à formação artística e a formação de público para as artes.

A Semana de Celebração dos 50 anos da Fundação das Artes teve início na segunda-feira (23 de abril) e envolveu a população do bairro Nova Gerty com várias ações, entre elas uma edição especial do projeto Som na Calçada. O projeto do professor e ex-aluno da instituição Rodrigo Braga, que há cinco anos ocupa a calçada da Fundação das Artes com repertório instrumental de jazz e bossa nova, agradou o público que pode se deliciar ao som de um repertório que vai de Miles Davis, Frank Sinatra e Cole Porter, até Tom Jobim, trazendo música de qualidade de graça para a população de São Caetano, em plena segunda-feira.

Na terça-feira, dia 24 de abril, aconteceu uma aula aberta de desenho com alunos de Artes Visuais e performance do Grupo Institucional de Dança da Fundação das Artes, no saguão da escola.

No dia 26 de abril aconteceu a abertura oficial da Exposição “Os primeiros 50 anos” na Pinacoteca de São Caetano, que faz um recorte da produção artística que permeou a Escola de Artes Visuais da Fundação das Artes desde sua criação (em 1968) e conta com obras de Daniel Melim, Bruno Andrade, Elton Hipólito, Bruno Novaes, trabalhos dos orientadores atuais da escola (Anete Lopes Nascimento, Edevania de Souza Rego, Liliane Pires dos Santos, Martin Braga de Siqueira) e obras de edições dos Salões de Arte Contemporânea, realizados na cidade entre as décadas de 1960 e 1980.

O evento de abertura contou com a presença de artistas que possuem obras expostas, entre eles o professor Valdo Rechelo, que assina a curadoria e Daniel Melim, que já ministrou curso na Fundação das Artes e tem suas pinturas apresentadas em galerias e museus no Brasil e no exterior, como Galeria Choque Cultural, Museu AfroBrasil, Memorial da América Latina, Bienal de Valência na Espanha e MASP. A abertura do evento foi realizada com uma Performance Digital dos alunos do curso Mediotec Dança. 

A Semana de 50 anos da Fundação das Artes seguiu com a apresentação do espetáculo do Núcleo de teatro de Rua “Ser, ou não sei. Hamelete, a estória recontada”, no dia 27 de abril, na Calçada da Fundação das Artes. E apresentações do espetáculo “Ontem será solidão” da Escola de Teatro nos dias 28 e 29 de abril, no Teatro Timochenco Wehbi. A temporada de “Ontem será Solidão” segue até o dia 12 de maio, com apresentações aos Sábados, às 20 horas, e domingos, às 18 horas.

Mais informações em: www.fascs.com.br ou www.facebook.com/fascs

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini – Cel: (11) 99568-8773 – luciana.gandelini@gmail.com