ZIRO RORIZ – UM MESTRE EM PALÍNDROMOS

 

ZIRO RORIZ - Escrevendo palu00EDndromos - Foto  Divulgau00E7u00E3o.

 ZIRO RORIZ – UM MESTRE  EM PALÍNDROMOS

Ei! Você sabe o que significa um ‘Palíndromo’?

 

Pois bem, o próprio nome do escritor paranaense ZIRO RORIZ já nos dá uma dica sobre a interrogação colocada acima. Palíndromos são frases ou textos que, lidos de trás para frente, ou do fim para o começo, ficam iguais, tem o mesmo significado. Leia o nome do escritor da direita para a esquerda e tire suas conclusões!

ZIRO RORIZ - Escrevendo palu00EDndromos - Foto  Divulgau00E7u00E3o

Natural de Curitiba, ele é autor do livro ‘Palíndromos – Um Desafio Linguístico’ (Editora Artes & Textos). É também poeta, cronista, ficcionista e palindromista. Escreveu ‘Haicais & Haikus’, um conjunto de pequenos poemas publicado pela mesma editora e no qual assina como Osíris Duarte. Para quem desconhece, o Haicai é um poemeto com 3 versos, sem título e sem rima. Um formato poético fixo que não admite, nem tolera variantes formais.

Um PALu00CDNDROMO de Ziro Roriz - Foto Divulgau00E7u00E3o

 

Confira a entrevista que o Blog fez com o escritor sobre os palíndromos!

Capa do livro HAICAIS & HAIKUS

Blog Cris Bortolossi: Quanto tempo você demorou para escrever o livro ‘Palíndromos – Um Desafio Linguístico’ ?

Ziro Roriz: Não tenho bem certeza, mas seguramente demorei uns 9 anos, entre pesquisar, criar os palíndromos, criar as legendas dos palíndromos, organizar os palíndromos por temas afins, e todo o mais que refere-se a escrita e confecção de um livro com mais de 300 páginas. Já que em meu livro, “PALÍNDROMOS – um desafio linguístico”, deve conter umas 3.000 frases e textos palindrômicos. Todos criação minha.

Blog Cris Bortolossi: Desde quando você lida com os palíndromos ?

Ziro Roriz: O primeiro contato que tive com os palíndromos, eu deveria ter uns 14 ou 15 anos, portanto há 50 anos. Foi um colega de escola que escreveu no quadro-negro, o mais conhecido palíndromo em língua portuguesa, qual seja: SOCORRAM-ME SUBI NO ÔNIBUS EM MARROCOS. Naquela época, eu desconhecia que o nome desta “coisa” era palíndromo. E durante uns 15 dias, fiquei matutando a ver se conseguia escrever algo semelhante, mas nada consegui. E isto ficou adormecido em meu subconsciente por cerca de 40 anos. Quando, já com internet, não sei bem porque, comecei a pesquisar sobre palíndromos e criei meu primeiro palíndromo que foi: MISSA É ASSIM. Daí para frente não parei mais, e deu no que deu, modéstia à parte, escrevi o mais completo livro, em língua portuguesa a tratar dos palíndromos, e é o único que se encontra à venda em livrarias.
Blog Cris Bortolossi: E para que servem os palíndromos ?

Ziro Roriz: Digo que os palíndromos servem para “desopilar o fígado”, para espairecer a mente, para rir e fazer humor, e trata-se da mais pura espécie de humor, pois não aborda etnias, portadores de deficiências, ou qualquer outra conotação às pessoas, já que unicamente faz humor com as palavras e com a maneira que elas podem ser combinadas para compor um texto ou frase (palindrômica).

Blog Cris Bortolossi: Quantos palíndromos você já criou ?

Ziro Roriz: Devo já ter criado uns 4.000 palíndromos, e estou convencido que a criação de palíndromos não tem fim. Pois muitíssimas e incontáveis palavras da língua portuguesa, se prestam para a criação de palíndromos, e também com nomes próprios (e de pessoas), se pode criar palíndromo, haja vista eu ter lido o nome do autor Ítalo Calvino, na lombada de um livro seu, para que resultasse: OLÁ TIO ÍTALO. E também acontece de ao estar autografando um livro, se criar no mesmo instante um palíndromo com o nome da pessoa à qual escrevo o autógrafo.

Blog Cris Bortolossi: E qual é o maior palíndromo que já se tenha escrito?

Ziro Roriz: O mais extenso texto palindrômico em língua portuguesa, modéstia à parte, foi criado por mim. Tem 400 palavras e o título (também palindrômico) é: “O anão do caso do bolo fofo do lobo do bobo é o Tito. Ele, o Tito, é o bobo do bolo do fofo lobo do saco do anão“.

 

Onde encontrar o livro ‘Palíndromos – Um Desafio Linguístico’:

* Livraria Poetria – Em Curitiba

* Livrarias Curitiba – (no Paraná e São Paulo), e também pelo site da rede.

* Livrarias Catarinense – (em Santa Catarina).

* Pelo e-mail: bocadacobra@gmail.com

Onde encontrar o livro ‘Haicais & Haikus’:

* Pelo e-mail: bocadacobra@gmail.com

 

POR: ALEXANDRE NOVASKI1977417_441776982644959_4175533726705654136_n

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s