DICAS CULTURAIS, DIVIRTA-SE

IMG_5208

DICAS CULTURAIS

DIVIRTA-SE

 

Dicas de Teatro

Marco Antonio Pâmio, além de excelente ator, tem se destacado na cena teatral paulistana como diretor. Recebeu o Troféu APCA por Assim é (se lhe parece), e indicação ao Shell por esse mesmo trabalho.

No momento, estão em cartaz dois espetáculos cuja direção ele assina: Consertando Frank (crisbortolossi.com/2015/03/26/dicas-culturais-divirta-se-8/) e Propriedades Condenadas, de Tennessee. Williams, com a Episódica Cia.

PROPRIEDADES-CONDENADAS-Teatro-Sérgio-Cardoso

Propriedades Condenadas é a junção das peças Por que você fuma tanto, Lily? e Esta Propriedade está Condenada e o resultado de pesquisas realizadas pela Episódica Cia sobre as memórias autobiográficas e ficções baseadas, ou inspiradas, em fatos reais na dramaturgia de Tennessee Williams.

¨Ficamos apaixonados pelas personagens. Disso nasceu Propriedades Condenadas, inspirado no universo imaginário dessas personagens ricas e complexas, cheias de fantasia e dureza”, resume Pâmio.

Deixo aqui registrada a minha admiração pelo ator, professor e diretor Marco Antônio Pâmio

Um pouco da sua trajetória: Estudou teatro no Drama Studio London, Inglaterra. Integrou o primeiro elenco do CPT (Centro de Pesquisa Teatral), dirigido por Antunes Filho, tendo atuado nos espetáculos Romeu e Julieta, Macunaíma e Nelson 2 Rodrigues. No teatro, também trabalhou com os diretores Naum Alves de Souza, Sérgio Ferrara, Francisco Medeiros, Bete Coelho, Luís Arthur Nunes, Gabriel Villela, Ariela Goldmann, Wolf Maya, Bárbara Bruno e Olayr Coan, entre outros. Como diretor, destaca-se: Fica Frio, de Mario Bortolotto, Suburbano Coração, de Naum Alves de Souza, Amor e Restos Humanos, de Brad Fraser e Assim é (se lhe parece), de Luigi Pirandello. Na TV, participou de De Quina pra Lua, Mandala, Memórias de um Gigolô e JK (Globo), Água na Boca (Band), Sangue do meu Sangue e Corações Feridos (SBT).

Ficha Técnica e serviço:

Texto: Tennessee Williams

Direção: Marco Antônio Pâmio

Elenco: Camila dos Anjos – Willie e Sra. Yorke | Ricardo Gelli / Gustavo Haddad – Tom e Lily

Figurino: Kleber Montanheiro

Cenário: Cesar Rezende

Iluminação: Caetano Vilela

Assistente de Direção: Gonzaga Pedrosa

Trilha: Marco Antônio Pâmio

Operador de som e luz: Nicolas Trevijano

Fotos: Bob Sousa e Gustavo Haddad

Tradução: “Por que você fuma tanto, Lily?” – Marco Antônio Pâmio | “Esta Propriedade está condenada” – Episódica CIA

Assistentes de Produção: Luciana Affonso

Contra regra: Emerson Nigro

Produção Executiva: Camila dos Anjos

Direção de Produção: Elder Fraga

Realização: Episódica Cia

Teatro Sérgio Cardoso. Sala Paschoal Carlos Magno.  De 10 de abril a 03 de maio de 2015. Sextas, Sábados e Domingos às 20h. Ingressos: R$ 30 e R$ 15 – meia-entrada para estudantes. Local: Teatro Sérgio Cardoso – Sala Paschoal Carlos Magno. Capacidade da Sala: 144 lugares. Endereço: Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – São Paulo – SP. Estações do Metrô Próximas: São Joaquim e Brigadeiro. Linhas de ônibus: 475M-10 Jd. da Saúde; 967A-10 Imirim/Pinheiros. Bilheteria: (11) 3288-0136 (terça a sábado das 14h às 17h p/vendas antecipadas e de terça a domingo, das 14h até o início do espetáculo p/ vendas para o espetáculo do dia)

Vendas pela internet (Sujeito à cobrança de taxa de serviço):  http://www.ingressorapido.com. Cartões: Visa e Visa Electron.http://www.teatrosergiocardoso.org.br. Moradores do Bixiga que apresentarem comprovante de residência pagam R$ 5,00 em qualquer espetáculo. Duração: 60 minutos. Recomendado: 16 anos. Haverá conversa com os artistas às sextas feiras, após as apresentações.O ator Ricardo Gelli se apresenta nos dias 10,11,12,17,18 e 19 de abril. O ator Gustavo Haddad se apresenta nos dias 24,25,26 de abril e 01,02 e 03 de maio.

Mostra Espanca! 10 anos, que está acontecendo no Sesc Ipiranga, traz uma oficina, o espetáculo recente Dente de Leão e montagens que integram o repertório do grupo: Congresso Internacional do MedoPor Elise e Amores Surdos .

dente de leão

Conheci o Grupo mineiro Espanca em Curitiba, quando estavam no Festival de Curitiba, com Por Elise.

Estava no Memorial de Curitiba, local de reunião do evento e me abordaram com a entrega de um flyer da peça.

O que me chamou a atenção foi a participação do grupo no Festival de Cenas Curtas do Grupo Galpão, em Belo Horizonte. Resolvi prestigiar e não me arrependi. Espetáculo delicioso, moderno e que mostra personagens do cotidiano de uma maneira divertida.

Acompanho o trabalho do Espanca desde Por Elise e ressalto o talento e carisma de Grace Passô como atriz, diretora e dramaturga. A artista tem conquistado o reconhecimento também fora do grupo, merecendo destaque para o espetáculo Contrações, com Débora Falabella e Yara de Novaes. Excelente!

Sinopses, serviços e fichas técnicas dos espetáculos:

http://arteessenciadavida.blogspot.com.br/2015/04/cia-espanca-completa-dez-anos-com.html

Está em cartaz na Livraria Da Vila Shopping Higienópolis Ninguém vai rir, com texto e direção de Vinícius Piedade. Com João Castanho Neto, Melissa Vaz e Roberto Borenstein.

 ninguém vai rir

Vinícius viaja por todo o Brasil com os seus trabalhos e os seus espetáculos permanecem em repertório, entre eles Carta de Um Pirata e Identidade.

Na peça, um crítico de arte é perseguido por um colega de profissão em busca de aprovação de um artigo seu.

A vida do protagonista vira um inferno e esse acontecimento provoca discussões sobre as escolhas e como a sorte ou o azar podem determinar o nosso destino.

Serviço: Até 31/05 – Sábados 20h00 e Domingos 18h00. Teatro Livraria da Vila do Shopping Higienópolis (Avenida Higienópolis, 618 – Higienópolis). Os ingressos estão à venda no site:  http://www.ingressorapido.com.br/evento.aspx?ID=39800 .Valor: R$40,00 e R$20,00 (estudantes, idosos, aposentados, deficientes físicos e professores da rede pública) . Ponto de Venda Sem Taxa de Conveniência: Bilheteria Teatro da Livraria da Vila – Shopping JK Iguatemi, Bilheteria Teatro da Livraria da Vila-Pátio Higienópolis, Bilheteria Teatro Livraria da Vila – Shopping Galleria Campinas. http://www.viniciuspiedade.com.br/ https://www.facebook.com/events/355215438011459/

A atriz e diretora Maria Alice Vergueiro dirige a peça Why the horse. A artista,ficou conhecida nacionalmente devido ao sucesso de um vídeo no Youtube, chamado Tapa na Pantera (http://www.youtube.com/watch?v=6rMloiFmSbw),  mas ela tem inúmeros sucessos nos palcos, sobretudo ao lado do grupo Ornitorrinco, de Cacá Rosset.

Apesar de sofrer de Mal de Parkison, Maria Alice completa 80 anos e não pensa em parar de trabalhar tão cedo.

A artista busca novos desafios para a sua carreira, ao lado do Grupo Pândega, criado por ela, Luciano Chirolli (também em cena) e Fábio Furtado.

Com elenco formado por Alexandre Magno, Carolina Splendore, Luciano Chirolli, Maria Alice Vergueiro e Robson Catalunha, a montagem fala da morte, do receio diante do fim e expressa o desejo de Maria Alice Vergueiro de morrer em cena. Também busca provocar reflexões sobre o que é fazer teatro nos dias de hoje e seus possíveis caminhos.

O projeto surgiu a partir de uma residência artística na SP Escola de Teatro. Em formato de happening, a montagem foi criada de maneira colaborativa, isto é, toda a equipe pôde opinar na elaboração das cenas e na escolha do conteúdo a ser apresentado no palco.

 Why the Horse,jpg

Why the horse traz referências da linguagem dos dramaturgos Alejandro Jodorowsky e Samuel Beckett, especialmente Fim de Partida, e da poetisa Hilda Hilst.

Além disso, os integrantes do grupo também tiveram a oportunidade de colocar em cena as suas visões particulares sobre a morte, contribuindo para isso uma internação de Maria Alice, devido a um derrame.

Luciano Chirolli, que já trabalhou com Maria Alice em oito peças, diz que esse foi um dos momentos mais tensos e que o fato acabou impactando no material de criação de WHY THE HORSE?. “Eu vivi um dia de luto pela Maria nessa internação. Teve um dia que fiquei bem preocupado com o estado de saúde dela e chorei horrores. Isso acabou virando tema de debates no grupo e influenciou o meu papel. Em cena, meu personagem e o da Maria acabam competindo para ver quem morre primeiro”, explica Chirolli.

Serviço e Ficha Técnica:

Elenco – Alexandre Magno, Carolina Splendore, Luciano Chirolli, Maria Alice Vergueiro e Robson Catalunha.

Direção – Maria Alice Vergueiro.

Assistente de Direção – Pedro Monticelli.

Dramaturgia – Fábio Furtado.

Cenário – J.C. Serroni.

Figurino – Telumi Hellen.

Desenho de Luz – Guilherme Bonfanti.

Trilha Sonora Original – Otávio Ortega.

Direção de Movimento – Alexandre Magno.

Direção de Produção – Carla Estefan.

Direção de Cena e Produção Executiva – Elisete Jeremias. Assistente de Produção – Ariane Cuminale.

Camareira – Maria Cícera. Duração – 60 minutos. Indicado para maiores de 16 anos.

Teatro do Sesc Santana. – Rua Luiz Dumont Villares, 479 – Santana. Telefone – (11) 2971-8700. Acesso para deficientes físicos. Bilheteria – De terça a sexta-feira das 9 às 21 horas, sábados das 10 às 21h00 e domingos e feriados das 10 às 18h00(ingressos à venda em todas as unidades do SESC). Capacidade – 337 lugares. Estacionamento com 122 vagas (de R$ 3,50 a R$ 7,00) http://www.sescsp.org.br. Temporada – Sextas-feiras e sábados às 21h00 e domingos e feriados às 19h00. Ingressos – R$ 30,00 (inteira); R$ 15,00 (usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e servidor de escola pública com comprovante); R$ 9,00 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). Até 10 de maio. Depois da temporada em Santana, o espetáculo fará apresentações em junho nos Teatros Alfredo Mesquita e João Caetano e, em julho, no Teatro Cacilda Becker, com apoio do Prêmio Myriam Muniz, do Ministério da Cultura.

Determinadas Pessoas – Weigel

Duas apresentações gratuitas de Determinadas Pessoas – Weigelcom Esther Góes e direção de Ariel Borghi, no Auditório Rui Barbosa, da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Dia 22, às 11h00, e 23 de abril, às 19:30h.

Escrita por Ariel Borghi e pela própria Esther, a peça trata da vida e da obra de Hélène Weigel, mulher do dramaturgo Bertold Brecht e uma das fundadoras do Berliner Ensemble. Hélène foi atriz e militante política na Alemanha dos anos 20 do século passado.

A peça é o resultado de pesquisas profundas realizadas por Esther, que na Alemanha se encontrou com Sabine Kebir, biógrafa de Hélène Weigel,, fez visitas ao Arquivo Brecht, que Hélène criou em sua própria casa e conheceu o trabalho de Berliner.

A atriz e o diretor irão participar de debates após as apresentações, juntamente com dois debatedores da Universidade. A participação é gratuita, mas é preciso ligar com antecedência para 2114 8430 ou 21148872.

Para Ariel e Esther, falar de Weigel hoje é uma forma de refletir sobre a utopia socialista vivida no século XX. “Cada época oferece os seus desafios”, lembra a atriz. “Na deles, a violência mostrava abertamente sua face. Na nossa, parecemos envolvidos numa trama em que a realidade oculta seus propósitos e um sentimento de impotência parece nos assombrar. Esperamos que o espectador possa refletir sobre os fatos deste passado tão próximo, com alguma perspectiva histórica, e apossar-se deles através da personalidade de Hélène.”

Ficha Técnica e Serviço:

Texto e concepção geral: Esther Góes e Ariel Borghi

Direção: Ariel Borghi

Interpretação: Esther Góes

Participação especial: Ariel Borghi

Participação especial em cenas gravadas: Renato Borghi (Bertold Brecht), Henrique Schafer (Bertold Brecht) e Eucir de Souza (Emigrado)

Figurinos: Beth Filipecki

Caracterização: Westerley Dornellas e Roger Ferrari

Música original : Lincoln Antonio

Desenho de luz: Robson Bessa

Cenografia: Ulisses Cohn

Fotografia: Gal Oppido

Desenho Gráfico: A Máquina de Idéias/ Sergio Kon

Texto Informativo – Rosângela Patriota

Operação de luz, som e vídeo: Robson Bessa

Contra-regra: Pedro Paulo Fermer

Camareira: Ieda Santos

Assessoria Administrativa: Daniel Gomes Gouveia

Realização: Ensaio Geral Produções

Auditório Rui Barbosa, Universidade Presbiteriana Mackenzie. 22 de abril – 11h 00. 23 de abril – 19h30. Ambas as apresentações terão debates com a participação da atriz, do diretor e de mais dois debatedores da instituição. A participação é gratuita e aberta à comunidade mackenzista e também ao público em geral. Convites pelos telefones da capelania 2114 8430 e 21148872.

Manual de Autodefesa -foto divulgação -1b

Manual de Autodefesa Intelectual, em cartaz no Sesc Belenzinho, fala de mitos e crenças contemporâneas.

No palco, a Kiwi Companhia de Teatro, grupo paulistano criado em 1996, apresenta uma trama baseada em números de mágica e estudos filosóficos, principalmente na obra de René Descartes (1596-1650).

A encenação usa música, dança e audiovisual ) e continua a sua dedicação ao estudo da linguagem narrativa para discutir temas, como numerologia, horóscopo, pensamento circular, mídia empresarial, surgimento da publicidade moderna, as religiões e as teorias da conspiração.

No dia 19 de abril (domingo), logo após a apresentação de Manual de Autodefesa Intelectual, haverá debate com participação do cientista social José Correa Leite sobre o tema Obscurantismo, pensamento crítico e estética.

Um curso de Teatro Documentário, ministrado pelo diretor Fernando Kinas (doutor em teatro pela Sorbonne Nouvelle e USP), será oferecido nos dia 5 e 6 de maio, terça e quarta-feira, das 14h às 18h00. Inscrições (grátis) devem ser feitas até o dia 28/04 pelo e-mail teatrodocumentario@belenzinho.sescsp.org.br.

Para conhecer a trajetória da Cia:

http://www.kiwiciadeteatro.com.br/

Ficha técnica e Serviço:

Trabalho cênico: Manual de Autodefesa Intelectual

Roteiro e direção geral: Fernando Kinas

Elenco: Fernanda Azevedo, Maíra Chasseraux, Maria Carolina Dressler e Vicente Latorre

Músicos: Eduardo Contrera (percussão, violão e flauta) e Elaine Giacomelli (teclados)

Direção musical e composições originais: Eduardo Contrera

Cenário: Julio Dojcsar

Iluminação: Heloísa Passos

Coreografia: Luiz Fernando Bongiovanni

Figurino: Madalena Machado

Vídeos: Carolina Abreu, Filipe Vianna (colaboração de Maysa Lepique)

Direção de produção: Luiz Nunes

Produção executiva (temporada Sesc): Adriana Balsanelli

Assessoria de imprensa: Eliane Verbena

Produção: Kiwi Companhia de Teatro

Sesc Belenzinho – (R. Padre Adelino, 1000). Temporada: 9 de abril a 10 maio de 2015. Horários: quinta a sábado, às 21h30 e domingo, às 18h30. Sala de Espetáculos I (100 lugares, acesso para pessoas com deficiência). Duração: 1h50. Gênero: drama. Classificação etária: 14 anos. Ingressos: R$ 25,00; R$ 12,50; R$ 7,5

todos os musicais de chico buarque em 90 min_n

Todos os musicais de Chico Buarque em 90 minutos reestreia em São Paulo, depois de curta temporada no Teatro FAAP no ano passado.

Os atores/ cantores interpretam canções compostas por Chico Buarque para teatro, cinema e TV.

A ideia de montar esse musical, em homenagem aos 70 anos de vida de Buarque, foi dos diretores Charles Möeller e Cláudio Botelho (que também participa como ator e cantor).

Vale ressaltar que não há diálogos, o mérito do musical é colocar no palco os sucessos de Chico Buarque. Na verdade, o espetáculo pode ser considerado um belíssimo show, já que não há um texto encenado.

Trechos da minha matéria elaborada em 2014 para o Aplauso Brasil, após a coletiva para a estreia em São Paulo, que ocorreu no ano passado (também publicada no site Folha da Cultura):

O musical não apresenta a biografia de Chico Buarque. As trilhas criadas pelo músico servem para contar a história de uma trupe teatral, com suas alegrias, tristezas, angústias, ciúmes e amores. Tudo ia bem até a chegada de uma nova atriz. Os personagens fazem parte de uma única história, mas também são personagens das peças que encenam enquanto estão mambembando pelo país.

O metateatro serve para ambientar o espectador no universo criativo do artista e as cenas são costuradas por um repertório de grandes sucessos, com destaque para músicas como Tatuagem’ (de Calabar), Sem Fantasia (Roda Viva), Basta um Dia (Gota d’Água), e Pedaço de Mim (Ópera do Malandro).

Além disso, Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 minutos também homenageia companhias que marcaram a história do nosso teatro devido ao talento dos seus integrantes e às obras encenadas:  Dulcina de Moraes, Eva Todor e os casais Cacilda Becker e Walmor Chagas, Maria Della Costa e Sandro Polônio estão entre os artistas que serviram de inspiração para a criação do musical.

A trama tem a atmosfera do poema Quadrilha, de Drummond, com os seus encontros e desencontros amorosos, com forte inspiração na peça  Lulu e a Caixa de Pandora, do escritor expressionista alemão Frank Wedekind.

Ficha Técnica e Serviço:

Com CLAUDIO BOTELHO, MARYA BRAVO, GABI PORTO, RODRIGO CIRNE, ESTRELA BLANCO, FELIPE TAVOLARO, CAROL BEZERRA E THUANY PARENTE.

Músicos:

THIAGO TRAJANO

Orquestração / Arranjos

JULES VANDYSTADT

Concepção e direção: Charles Möeller

Cenografia: Rogério Falcão

Figurinos: Marcelo Pies

Iluminação: Paulo Cesar Medeiros

Design de som: Marcelo Claret

Coordenação artística: Tina Salles

Roteiro / Direção musical: Claudio Botelho

Direção: Charles Möeller

Um espetáculo de Charles Möeller & Claudio Botelho

Produção: Möeller & Botelho

Temporada: de 10 de abril a 31 de maio

Local: Teatro Cetip – Rua dos Coropés, 88 – Pinheiros – São Paulo (SP).

Horários: Sextas e sábados, às 21h. Domingos, às 18h. Ingressos: R$ 50 e R$ 150. Classificação Etária: Classificação livre. Menores de 12 anos acompanhados dos pais ou responsáveis legais. Capacidade: 627 lugares. Estacionamento com manobrista: R$25,00.

SETORES – MEIA-ENTRADA – INTEIRA

PLATEIA PREMIUM R$ 75 R$ 150

PLATEIA INFERIOR R$ 75 R$ 150

PLATEIA SUPERIOR R$ 50 R$ 100

– Meia-entrada: obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário – Ingressos já estão à venda.

BILHETERIA OFICIAL – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA. Teatro Cetip – diariamente, 12h às 20h (em dias de espetáculo, a bilheteria funciona até o início da apresentação) – Rua dos Coropés, 88 – Pinheiros

LOCAIS DE VENDA – COM TAXA DE CONVENIÊNCIA. Pontos de venda pela Internet: http://www.ticketsforfun.com.br (entrega em domicílio – taxas de conveniência e de entrega). Formas de Pagamento: dinheiro, cartões de crédito American Express®, Visa, MasterCard, MasterCard débito, Diners e cartões de débito Visa Electron. Venda a grupos: grupos@t4f.com.br

 os saLTIMBANCOS

Depois da estreia de Ópera do Malandro, o Theatro Net São Paulo recebe Os Saltimbancos, musical infantil com tradução e adaptação de Chico Buarque para o texto de Luiz Enríquez Bacalov e Sergio Bardotti. Temporada: 11 de abril a 3 de maio; sábado, 17h30; e domingo, 16h30.

Com direção de Cacá Mourthé, do Teatro Tablado do Rio de Janeiro, a montagem traz a atriz Bianca Byington como a galinha.

Bianca já participou de uma montagem de Os Saltimbancos, aos 12 anos, em 1978, de Chico Buarque, integrando o coro infantil. Foi a sua estreia no teatro.

Além de Bianca, integram o elenco Carol Futuro (a gata), Maurício Tizumba (o jumento) e José Mauro Brant (o cachorro).

O musical, inspirado no conto dos irmãos Grimm, Os Músicos de Bremen, mostra as aventuras de quatro animais que fogem para a cidade grande porque sofrem maus tratos de seus donos.

No decorrer dos anos, o musical tem encantado adultos e crianças, com inúmeras montagens que estreiam ano a ano.

Uma matéria antiga conta detalhes interessantes sobre a obra musical:

– ESPECIAL ‘CHICO BUARQUE’: OS SALTIMBANCOS

 Mr. Hinnes  07/05/2013

http://mrzieg.com/blog/2013/05/especial-chico-buarque-os-saltimbancos/

Ficha Técnica e Serviço:

Autoria: Luiz Enríquez e Sérgio Bardotti

Tradução e Adaptação: Chico Buarque

Direção: Cacá Mourthé

Coreografias: Sueli Guerra

Direção Musical: Alexandre Elias

Elenco: Bianca Byington, Carol Futuro, José Mauro Brant e Mauricio Tizumba

Direção de Produção: Andréa Alves e Cláudia Marques

Realização: Fábrica de Eventos e Sarau Agência de Cultura

https://www.facebook.com/saltimbancos?ref=ts&fref=ts

Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia, 5º andar – Rua Olimpíadas, 360.Ingressos: R$ 70,00 (Plateia Central). R$ 70,00 (Plateia Lateral). R$ 60,00  (Balcão Nobre). R$ 50,00 (Balcão). Clientes NET têm 50% de desconto na compra de até quatro ingressos. Direito à meia-entrada: Menor ou igual a 21 anos, idosos com 60 anos ou mais, professor da rede pública, estudante e funcionários, associados e corretores da Sulamérica. Horário do funcionamento da bilheteria: segunda a sábado, das 10h00 às 22h00; e domingo, das 10h00 às 20h30. Duração: 50 minutos. Recomendação: livre. Telefone do teatro: 4003-1212. Vendas: http://www.ingressorapido.com.br / consulte os pontos de vendas no site. Formas de pagamento: Todos os cartões de crédito e débito. Não aceita cheques. Acessibilidade.

Em Mauá- Grande São Paulo

Maldito-Beneficio

Maldito Benefício é extremamente atual porque fala de um velho aposentado que recebe da Previdência Social um comunicado que pode mudar a sua vida e a do seu filho, taxista.

A montagem, produzida pelo Sesi-SP em 2013, teve indicações a Prêmios importantes, como Shell e APCA.

Pelo título, dá pra perceber que o benefício prometido trará é dor de cabeça e fará com que a família aja de maneira questionável! 16 e 17 de Abril, quinta e sexta, às 20h00, no SESI Mauá.

Ficha Técnica e Serviço:

Texto: Leonardo Cortez.

Direção: Marcelo Lazzaratto.

Com Ricardo Côrte Real, Leonardo Cortez, Glaucia Libertini e Daniel Dottori.

Duração: 80 minutos. Censura: 14 anos. (Avenida Presidente Castelo Branco, 237, Jardim Zaíra, Mauá) Telefone: 4542-8950. Temporada:  16 e 17 de Abril, quinta e sexta, às 20h00. Grátis, mas recomendo ligar para saber como pegar os ingressos.

Para ir além do teatro:

Exposição Picasso e a Modernidade Espanhola

Exposição Picasso e a Modernidade Espanhola

O CCBB de São Paulo recebe obras de Picasso e de outros artistas espanhóis, como Benjamín Palencia, Rafael Barradas e Antonio López García.

Picasso dispensa apresentações. O público terá a oportunidade de ver de perto noventa obras vindas do museu Reina Sofía, em Madri, metade delas de autoria do mestre cubista. A curadoria é de Eugenio Carmona, professor de história da arte na Universidade de Málaga.

A exposição tem oito módulos e mostra como Picasso e os artistas espanhóis marcaram a produção artística no século XX.

Entre os destaques, estão os estudos e esboços para o quadro Guernica, de 1937,  em que Picasso retratou a guerra civil espanhola (1936-1939).

Com certeza, as filas serão grandes. A dica é acompanhar o dia a dia da exposição e tentar escolher a melhor data para visitá-la.

CCBB-SP – R. Álvares Penteado, 112, tel. 3113-3651. Segunda e quarta. a dom.: 9h00 às 21h00. Abertura: 25/3. Até 8/6. Livre. Visita monitorada: 11 3113-3649 p/ grupos escolares a partir de 40 pessoas. GRÁTIS http://culturabancodobrasil.com.br/

Dia do Índio (19 de abril ) é celebrado com a Semana dos Povos Indígenas em São Bernardo.

Semana dos Povos Indígenas

O evento, com realização da Prefeitura e do Centro de Referência das Culturas Populares Tradicionais (CRCPTs) de São Bernardo do Campo, no Bairro Nova Petrópolis, terá mostra de vídeo, exposições, contação de história e visita às aldeias Krukutu e Kaipety Serão fornecidos certificados de participação

PROGRAMAÇÃO:

Fonte: Secretaria de Comunicação – Divisão de Jornalismo da Prefeitura de São Bernardo/SP

Curtas e curumins – Exibição de curtas-metragens que retratam várias histórias e lendas indígenas para crianças. Dias 16 e 17, às 10h00 e às 14h00.

Workshop: Cultura material e ensino da história e cultura dos povos indígenas brasileiros. A atividade é voltada à formação de educadores e interessados em geral. Será realizado a partir da leitura do acervo de cultura material existente no Centro de Referência das Culturas Populares Tradicionais sobre os Povos Indígenas brasileiros. Segundo os realizadores, o participante terá um panorama de alguns aspectos do cotidiano, tais como caça e pesca, vida doméstica, coleta e alimentação das diversas etnias representadas na exposição. Vagas limitadas a 15 pessoas por turma, por ordem de inscrição. Dias 23 e 24, às 10h00 e às 14h00.

Exposição: Comunidades Guarani e Povos Indígenas do Brasil – Dividida em duas partes. A primeira com fotografias do indigenista e historiador Paulo Porto Borges sobre o cotidiano das comunidades Guarani, que vivem na região sul e sudeste do Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. A segunda parte é formada por objetos materiais, arcos, lanças, flechas, cestarias, cerâmicas, entre outros, pertencentes ao acervo do Centro de Referência das Culturas Populares Tradicionais. Visitação de 8 a 30 de abril, de quarta a domingo, das 10h00 às 16h00.

Visita monitorada às comunidades Guarani – O objetivo da atividade é propiciar ao visitante o conhecimento de aspectos da vida social e da cultura tradicional das comunidades indígenas Guarani, Krukutu e Kaipety, sua língua, costumes, produção literária e artesanato. No dia 25, a visita inclui palestra sobre a cultura Guarani, exposição de artesanato e degustação de um prato típico, além das apresentações da dança dos guerreiros, chamada Xondaro, e do Coral com músicas guaranis. No dia 26, a ida à Aldeia Krukutu terá como roteiro uma visita ao Museu, à Casa de Reza, ao Centro de Educação e Cultura Indígena (CECI) e ao viveiro de mudas de plantas nativas da Mata Atlântica.

Serviço: As inscrições podem ser feitas pelo e-mail palestrasedebates@gmail.com. O Centro de Referência das Culturas Populares Tradicionais fica na Av. Wallace Simonsen, 1.800, no Bairro Nova Petrópolis. Outras informações pelo telefone 11 4336-8256. Local de saída e chegada: Seção de Pesquisa e Documentação (Alameda Glória, 197, Centro). Vagas limitadas: 40 pessoas por dia (com possibilidade de inscrição individual para os dias da visita). Nos dois dias, haverá a disponibilidade de ônibus (gratuitos) do local de saída até as comunidades Krukutu e Kaipety. Horário de saída: 8h. Horário previsto de chegada: 17h00.  Dias 25 e 26 de abril.

Mercado Persa –  congresso e festival de danças árabes
20150412_130642 (1)
Estive no evento Mercado Persa, representando o Blog deCris Bortolossi, no domingo 12 de abril.
O Mercado Persa, que aconteceu no WTC Events Center, entre 10 e 12 de abril, trouxe shows, com danças  e feira de produtos árabes, especialmente roupas para a dança do ventre, oficinas  e palestras. 20150412_132251
Com o objetivo de divulgar a dança oriental árabe e unir os praticantes, amantes e profissionais da área, o evento trouxe à capital paulista shows de academias e também de artistas de renome nessa área artística, como o bailarino indiano Sunny Singh, os bailarinos Jade El Jabel, Kristian Galvão e  o Cantor Sírio, Tony Mouzayek.
Senti falta da gastronomia árabe. Disponibilizaram lanchonetes (e livre acesso à praça de alimentação do shopping D&D), mas não foi oferecido ao visitante a oportunidade de degustar pratos mais elaborados. Além disso, as oficinas são pagas e o valor da entrada de R$120,00 (que dava direito às palestras, apresentações e feira) com certeza dificulta o acesso das pessoas que se interessam pela cultura árabe.  Vale ressaltar, também, que os shows especiais custaram R$45,00.
20150412_130732 (1)
Quem faz dança do ventre pôde encontrar uma infinidade de roupas, isso sem contar as belezas dos produtos, como colares, brincos e pulseiras.
20150412_131009 (1)

Bom passeio!

Por Nanda Rovere10928848_440169949472329_4709229467753456317_n
Historiadora, jornalista e crítica teatral

nandarovere@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s