DICAS CULTURAIS, DIVIRTA-SE

IMG_5503

DICAS CULTURAIS

DIVIRTA-SE

 

Dicas de Teatro

1gaivota

 1Gaivota – É impossível viver sem teatro traz o ator Renato Borghi

Além da direção, dos demais atores e de uma equipe competente, claro.

A presença de Borghi, no entanto, merece atenção especial porque o artista acabou de completar 78 anos de vida.  Uma trajetória louvável e que o coloca entre os grandes nomes do nosso teatro. Acompanhar o trabalho de Borghi é um privilégio.

Abaixo tem a matéria criada para o Blog e para o site Folha da Cultura.

A peça é uma adaptação do clássico de obra de Anton Tchekhov. No elenco estão talentos do nosso teatro: Renato Borghi, Noemi Marinho, Pascoal da Conceição, Élcio Nogueira, Julia Ianina, Rafael Primot, Thais Medeiros e Erika Puga.

O texto escrito em 1895 foi modernizado pelo diretor Nelson Baskerville, que transporta a ação para uma fazenda em Campos do Jordão porque para ele não há sentido encenar um clássico sem contextualizá-los nos dias atuais.

Nesse lugar, os proprietários, que  estão passando dificuldades financeiras, divertem-se, amam, bebem e machucam-se.  O objetivo é discutir a dificuldade de compreensão e de comunicação entre as pessoas.

Ator e personagem se misturam no palco para que o público  entre em contato com mecanismos do jogo teatral. Os atores lançam a pergunta: é impossível viver sem teatro?

Nas palavras do diretor:¨Como se os espectadores  e os atores pudessem dissecar  as almas da cena, as relações entre esses personagens e diversos pontos de vista que podemos ter quando enxergamos o avesso, os bastidores, dos acontecimentos. Mostramos a mágica e o truque de mágica ao mesmo tempo, deixando que o truque seja também mágica.

Para que essa ideia  tenha consistência,  a montagem, segundo dados do release enviado à imprensa, pretende desnudar a teatralidade com tudo a mostra, o teatro exposto, tudo revelado, até mesmo o camarim que fica diante do publico, numa fusão de peça real e peça ficção.

Além disso, os elementos nunca saem de cena, nada é escondido e a movimentação cenográfica é feita na frente do espectador e recursos de vídeo e som são utilizados.

1 Gaivota é a continuidade aos dos trabalhos da companhia Antikatártika Teatral (AKK), de Baskerville, criada em 2004 a partir da estreia de A Geladeira.

Deixo aqui a minha homenagem ao magnífico ator Renato Borghi , que tem uma trajetória que precisa ser lembrada sempre. Borghi completa este ano 78 anos de vida e 57 de carreira. Merece, portanto, a atenção de quem aprecia teatro e cultura em geral.

Junto com José Celso Martinez Corrêa, Borghi fundou o Teatro Oficina, em 1958, e tem realizado espetáculos marcantes. Fundou nos anos 90 o grupo teatral Teatro Promíscuo com o ator/diretor Elcio Nogueira Seixas.

Como ator encenou Galilei – A Vida de Galileu por Bertolt Brecht, Tio Vânia”, O Jardim das Cerejeiras, Macbeth, Timão de Atenas, Os 7 Gatinhos, O Casamento e Azul Resplendor, que assinou a direção ao lado de Élcio Nogueira Seixas.”

Como dramaturgo escreveu as peças: A Estrela Dalva”, Lobo De Ray Ban e Decifra-me ou Devoro-te, Senhora do Camarim, Édipo de Tabas, que também dirigiu.

Impossível citar todos os seus trabalhos, por isso indico alguns links:

http://aplauso.imprensaoficial.com.br/edicoes/12.0.813.446/12.0.813.446.pdf – Livros sobre Renato Borghi – Borghi Em Revista – Col. Aplauso, de Élcio Nogueira Seixas 

 http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa109281/renato-borghi – trajetória

http://teatropedia.com/wiki/Renato_Borghi – trajetória

spescoladeteatro.org.br/noticias/ver.php?id=1847 – Luciana Borghi escreve sobre o tio Renato

mais.uol.com.br/view/14416094

http://mais.uol.com.br/view/xiddtuwnvlqs/metropolis–entrevista-com-o-ator-renato-borghi-04020D9C306CC4A14326?types=A& – entrevista

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000418777 –  análise do trabalho do ator, diretor e dramaturgo Renato Borghi

Ficha Técnica e Serviço:

Autor: ANTON TCHEKHOV

Adaptação e direção geral: NELSON BASKERVILLE

Assistente de direção: FELIPE SCHERMANN

Elenco: RENATO BORGHI, NOEMI MARINHO, PASCOAL DA CONCEIÇÃO, ÉLCIO NOGUEIRA, JULIA IANINA, RAFAEL PRIMOT,

THAIS MEDEIROS e ERIKA PUGA

Figurino: MARICHILENE ARTISEVSKIS

Cenário:AMANDA VIEIRA ENELSON BASKERVILLE

Direção Musical: DANIEL MAIA

Desenho de Luz:WAGNER FREIRE

Projeto de Vídeo: RAIMO BENEDETTI

Direção de produção: CARLA ESTEFAN

TEATRO ANCHIETA – SESC CONSOLAÇÃO (320 lugares)

Rua Doutor Vila Nova, 245 – Consolação.

 Sexta e Sábado às 21h00 | Domingo às 18h00

Ingressos: R$ 50

 De 17 de abril a 24 de maio de 2015

(17 apresentações)

TEATRO ALFREDO MESQUITA (210 lugares)

Avenida Santos Dumont, 1770 – Santana.

 Quarta a Sábado às 20h00 | Domingo às 18h00

 Ingressos Gratuitos

 De 27 a 31 de maio de 2015

(5 apresentações)

TEATRO CACILDA BECKER (216 lugares)

Rua Tito, 295 – Lapa.

 Quarta a Sábado às 20h | Domingo às 18h

Ingressos Gratuitos

 De 03 a 07 de junho de 2015

 (5 apresentações)

Duração: 120 minutos

Recomendação: 16 anos

Anchieta/SESC Consolação, Alfredo Mesquita e Cacilda Becker, entre 17 de abril e 07 de junho.

 urinal

URINAL, O MUSICAL, de Greg Kotis e Mark Hollmann, é o mais novo trabalho do Teatro do Núcleo Experimental. Com direção geral de Zé Henrique Fonseca e direção musical de Fernanda Maia, a peça que é de origem norte-americana é muito pertinente para a realidade brasileira atual porque fala da escassez de água.

Elenco: Adriana Alencar, Bia Bologna, Bruna Guerin, Caio Salay, Daniel Costa, Fabio Redkowicz, Gerson Steves, Luciana Ramanzini, Nábia Villela, Paulo Marcos Brito, Roney Facchini, Thiago Carreira, Thiago Ledier.

Na trama, os personagens estão expostos ao controle de água. São mais de 20 anos de seca (Anos Fedidos) e por isso os banheiros particulares foram extintos. Quem não respeita as leis com relação ao consumo de água, vai preso num lugar chamado Urinal.

A população usa banheiros públicos que são pagos. A Companhia da Boa Urina é a responsável pelo controle sanitário e tem como figura mais importante o ardiloso Patrãozinho.

Apesar dessa situação crítica, a população não tinha realizado nenhum manifesto até um jovem chamado Bonitão inicia uma revolta popular.

Segundo o diretor, a montagem foi inspirada nos cabarés alemães da primeira metade do século XX, especialmente na obra de Brecht e Weil. Além disso, traz em cena um espírito futurista, com cenários e figurinos elaborados a partir de material reciclável.

 “É muito importante salientar que a grande maioria dos recursos materiais usados na montagem (material de cenário, figurino e iluminação) foi reciclada e não comprada. Tecidos, madeira, ferragens, aviamentos, mobiliário, objetos, tudo foi reciclado de doações recebidas e acervo do grupo. Esse material recebeu tratamento adequado e foi customizado às necessidades da produção, gerando aproveitamento integral de recursos e mínima geração de resíduos durante sua execução”, conta o diretor.

 O Núcleo Experimental é um grupo de teatro reconhecido pelo público e crítica de teatro. Essa nova montagem certamente despertará a curiosidade devido ao seu tema extremamente atual.

Urinal é um musical delicioso, com cenas criativas e um elenco de grande competência – todos os atores/cantores  dão um show em cena.

O cenário é sombrio, ambientando a história num lugar escuro, sem cor, que lembra cabarés alemães do século XX e retrata uma sociedade desesperada com a falta de água e com a condição degradante de não poder ir ao banheiro na hora que quiser.

Segundo o diretor, a montagem traz a decadência e presente nas obras  de Bre­cht e Weil, visto que  auto­res decla­ra­ram beber dire­ta­mente da Ópera dos três vinténs. Além disso, há referência ao futurismo de George Orwell, autor de 1984, e Aldous Hux­ley, de Admirável Mundo Novo

Vale frisar que apesar da situação ser crítica, ás canções são alegres, como se a tragédia vivida pelos personagens tivesse uma luz no final do túnel e tudo fosse acabar bem. Urinal, no entanto, não tem um final feliz para todos os personagens. Assim como na vida real, somente alguns personagens têm um futuro promissor.

A direção musical de Fernanda Maia merece atenção especial. O elenco apresenta exímia habilidade vocal para cantar as músicas em diversos tons e estilos.

Ficha Técnica e Serviço:

Texto: Greg Kotis e Mark Hollmann.

Direção: Zé Henrique de Paula.

Direção Musical e Regência: Fernanda Maia. Com a Cia Núcleo Experimental.

Elenco: Adriana Alencar, Bia Bologna, Bruna Guerin, Caio Salay, Daniel Costa, Fabio Redkowicz, Gerson Steves, Luciana Ramanzini, Nábia Villela, Paulo Marcos Brito, Roney Facchini, Thiago Carreira, Thiago Ledier. Músicos: Rafa Miranda (Piano), Clara Bastos e Pedro Macedo (Baixo), Rafael Heiss e Abner Paul (Bateria), Flávio Rubens (Clarinete e Saxofone) e Valdemar Santos Nevada e Evandro Bezerra (Trombone).

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$20,00 (meia). Sextas, Sábados e Segundas, às 21h. Domingos, às 19h. Até 6 de julho. OBS: Entrada gratuita às sextas-feiras, com ingressos distribuídos na bilheteria do teatro uma hora antes do início da sessão. Teatro do Núcleo Experimental – Rua Barra Funda, 637 – Barra Funda, tel: 3259-0898. Capacidade 56 lugares. Bilheteria funciona somente em dias de espetáculo, 1 hora antes do início da sessão. Aceita cartões. Acesso para pessoas com deficiência. Ar Condicionado. Estacionamento na frente do teatro (não conveniado). Café no hall do teatro. Duração: 1h50 minutos (mais 15 minutos de intervalo).Recomendado: 10 anos.

 LET’S JUST KISS AND SAY GOODBYE

Depois de passar pelo Festival de Teatro de Curitiba, Let’s Just Kiss And Say Goodbye (Vamos nos Beijar e Dizer Adeus) reestreia em São Paulo. traz grandes nomes do teatro paulistano que apresentam uma peça performática.

Danilo Grangheia, Georgette Fadel, Luah Guimarães, Luciana Schwinden e Rodrigo Bolzan atuam como se fosse a última vez que estivessem pisando num palco. O espetáculo une dança, teatro e artes plásticas.

A direção é de Elisa Ohtake, que pelo nome já dá pra saber que faz parte da família Ohtake, ela é filha de Ruy Ohtake, neta da artista plástica Tomie Ohtake e filha da atriz Célia Helena.

O objetivo da encenação é mostrar uma situação-limite e assim propor discussões sobre a finitude da vida e sobre o teatro, já que em vários momentos os atores vivem personagens de peças conhecidas.

Os atores exploram ao máximo a exposição em cena, colocando à mostra as suas fragilidades. Além disso, a plasticidade da montagem pretende chamar a atenção dos espectadores. Os materiais cênicos que se transformam em corpo e cenário.

Ficha Técnica e Serviço:

Concepção, direção, dramaturgia geral: Elisa Ohtake

Atores criadores: Danilo Grangheia, Georgette Fadel, Luah Guimarães, Luciana Schwinden e Rodrigo Bolzan.

Assistente de direção: Marcel Darienzo

Iluminação, cenário: Elisa Ohtake

Fotos: Lenise Pinheiro

Produção: Stella Marini

Temporada até 13 de maio/2015. Terças e Quartas, às 21h00. No Galpão do Folias, Rua Ana Cintra, 213, Santa Cecília, tel.: 3361-2223. Metrô Santa Cecília. Ingressos: R$ 20 inteira e R$ 10 meia-entrada. R$ 10 para os moradores de Santa Cecília.  Lotação: 76 lugares. Duração: 100 min. Recomendado: 12 anos. Cartão de Débito e Crédito – Bandeiras Master e Visa. Acessibilidade a pessoas portadoras de deficiência. Reservas pelo telefone:  (11) 3361-2223. Estacionamento com convênio R$ 10,00, ao lado do teatro.

De Artista e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco

De Artista e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco

Jacques Lagoa dirige De Artista e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco, comédia inspirada em situações do cotidiano e no universo familiar, que foi escrita por Ronaldo Ciambrone para a atriz e comediante Consuelo Leandro. Posteriormente, a peça ganhou montagens em São Paulo e Rio.

De Artista e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco apresenta a história de uma mãe louca e ciumenta, Arlete Montenegro, que tenta impedir o casamento do filho Beto, com a ajuda de um carteiro maluco e que sonha em ser ator, interpretado por Milton Levy.

Nessa nova versão, De Artista e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco conta com  Arlete Montenegro, Milton Levy, Claudio Andrade e Dani Marcondes.

Ficha Técnica e Serviço:

Autor: Ronaldo Ciambroni

Direção: Jacques Lagoa.

Produção Executiva: Luiggi Francesco.

Diretor de Produção: Gerardo Franco.

Diretora de Produção: Carmen Sanches.

Diretora de Arte: Paula Andrade.

Trilha Sonora: Servulo.

Designer Gráfico: Marcos Badilho.

Elenco: Arlete Montenegro, Milton Levy, Claudio Andrade e Dani Marcondes.

Realização: Tchesco Produções Artísticas.

Temporada: De 17 de abril a 28 de junho, Sextas e Sábados às 21h e Domingo às 20h00. Ingressos: R$50,00 (Inteira) e R$ 25,00 (Meia). Local: Teatro Bibi Ferreira, Av. Brigadeiro Luís Antônio, 931 – Bela Vista. Telefone: (11) 3105-3129.  Duração: 70 min Recomendado: 12 anos.

a hora e a vez

A Hora e Vezcom a Cia. do Sopro, é um monólogo para quem gosta de espetáculos realizados a partir de processos de pesquisas.

Inspirado na obra A Hora e Vez de Augusto Matraga, de João Guimarães Rosa, a peça mostra a saga de um personagem que transita e se funde com as  figuras que gravitam em torno dos percalços e angústias de Nhô Augusto.

O ator Rui Ricardo Diaz é mineiro como Guimarães, e foi buscar em suas raízes o material para a encenação.

Ficha Técnica e Serviço:

Direção e Figurino: Antonio Januzelli.

Adaptação e atuação: Rui Ricardo Diaz.

Atriz colaboradora: Fani Feldman.

Iluminação: Osvaldo Gazottii.

Pesquisa de Vocábulo Regional: Joaquim Dias da Silva.

Estudo de Teatro Físico: Luis Louis.

Temporada: Sábados às 20h00 e Domingos às 19h00. Até 31 de maio.

ESPAÇO PARLAPATÕES – Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação – São Paulo/SP. Telefone: (11) 3061-9799. Capacidade: 100 lugares. Ingressos: R$30,00. Duração: 60 min. Recomendado: 16 anos. Acesso para portadores de necessidades especiais.

Teatro no Rio de Janeiro:

Através de Um Espelho – Já indiquei o excelente espetáculo, que fez duas temporadas de sucesso em Sâo Paulo.. Agora os cariocas terão a oportunidade de conferir.

Um elenco primoroso, com destaque para o trabalho sensível de Gabriela Duarte, com certeza o seu melhor resultado como atriz. Ela se entrega, de corpo e alma, à interpretação de uma moça frágil e sensível, que tenta recuperar o elo de ligação de sua família. Há muito amor, mas muira mágoa também.

Sinopse: A peça é uma adaptação do longa-metragem homônimo de Ingmar Bergman, de 1961. A família está totalmente desestruturada. Karin ,após uma temporada em um hospital psiquiátrico ( ela é esquisifrênica), reúne o seu pai, irmão e seu marido numa ilha, onde costumavam sempre passar as férias.

David (Joca Andreazza) é o pai de Karin, escritor vítima de críticas injustas e infundadas, por parte do filho imaturo Max (Lucas Lentini) e do genro Martin (Marcos Suchara). Karen tenta unir a família, mas ela  necessita de cuidados. Não sabem muito bem como lidar com a fragilidade de Karin e o reencontro se transforma num momento tenso, sofrido.

Para saber mais:

http://www.teatropoeira.com.br/acontece/ATRAVES-DE-UM-ESPELHO/94

Ficha Técnica e Serviço:

Elenco: Gabriela Duarte, Joca Andreazza, Marcos Suchara e Lucas Lentini

Texto: Ingmar Bergman

Versão Teatral: Jenny Worton

Tradução: Yara Nagel

Adaptação: Marcos Daud

Dramaturgia: Valderez Cardoso Gomes

Direção: Ulysses Cruz

Diretor Assistente: Leonardo Bertholini

Diretor de Movimento: Leonardo Bertholini

Elenco: Gabriela Duarte, Nelson Baskerville, Marcos Suchara e Lucas Lentini

Preparação vocal: Renata Ferrari

 Cenografia: Lu Bueno

 Designer de Luz: Domingos Quintiliano

 Figurinos: Cassio Brasil

Trilha Original: Daniel MaiaTEMPORADA DE 09/04 A 03/05. RUA SÃO JOÃO BATISTA, 104 – BOTAFOGO – RIO DE JANEIRO
(21) 2537-8053.teatropoeira.com.br

SESSÕES: QUINTA A SEXTA AS 21H – R$60,00.SÁBADO 21H – DOMINGO 19H – R$ 80,00

CLASSIFICAÇÃO: 12 anos. DURAÇÃO: 01h15. LOTAÇÃO: 145. VENDA ONLINE: http://www.ingresso.com
HORARIO FUNCIONAMENTO DA BILHETERIA:. DE TERÇA A DOMINGO DAS 15H AS 21H 

O Teatro Eva Herz, localizado na Livraria Cultura da Avenida Paulista,  é um espaço confortável e sempre com ótimos espetáculos em São Paulo.

o acompanhamento

No Rio, o Teatro Eva Herz está localizado no centro da cidade, no antigo Cine Vitória. Nessa sala de espetáculos está em cartaz Acompanhamento está em cartaz , até 30 de maio de 2015. No elenco estão Wilmar Amaral e Roberto Frota

O texto, muito popular na Argentina, fala de amizade. Conta a história de Tuco, um metalúrgico prestes a se aposentar que abandona o trabalho para viver seu grande sonho: tornar-se cantor.

Os seus amigos não entendem a sua decisão e ele decide se trancar em um porão para ensaiar sozinho.

Ele aguarda de um profissional para acompanha-lo nos ensaios e a chegada dos violões, mas quem o procura é o velho amigo Sebastian.

A peça é inédita nos palcos cariocas.

Para acompanhar a programação do teatro acesse: http://www.teatroevaherz.com.br/

Ficha Técnica e Serviço:
Autor: Carlos Gorostiza
Tradução e Adaptação Daniel Archangelo e Wilmar Amaral.
Direção: Daniel Archangelo
Elenco: Wilmar Amaral e Roberto Frota
Cenografia: Carlos Augusto Campos
Figurino: Ricardo Rocha
Iluminação: Daniel Archangelo
Contra Regra: João Batista
Assistente de Direção: Marianna Mugnaini
Assistente deCenografia: Yuri Azevedo
Cabine: Daniele de Deus e Gustavo Martins
Realização: Wilmar Amaral Produções Culturais Ltda
Assessoria de Imprensa: Waléria de Carvalho
Formação de Platéia: Aline Peres
Art Designer: André Lacaz Amaral
Fotos: Luiz Luz

Teatro Eva Herz. Unidade: Cine Vitoria
Endereço: R. Sen. Dantas, 45 – Centro – Rio de Janeiro. De 9 de abril a 30 de maio de 2015. Quintas, sextas e sábados ás 19h30.*Não haverá sessão no dia 01/05/2015 . Duração: 60 minutos. Recomendado: 14 anos.  Ingresso: R$40,00 inteira e R$20,00 meia.

Mais uma temporada do excelente Florilégio Musical II – Nas Ondas do Rádio, agora no Teatro Eva Wilma. Ainda dá tempo de conferir.

Florilégio

Florilégio é uma merecida homenagem à Era de Ouro do rádio no Brasil.

Um trio de atores está no palco e interpreta composições de autores como Ary Barroso, Cartola, Ataulfo Alves, Zé Keti, Dorival Caymmi, Herivelto Martins, Assis Valente, Lupicínio Rodrigues.

Carlos Moreno; Adriana Fonseca; e Mira Haar ou Helô Cintra (aos sábados), que se revezam em cena em dias alternados. A direção geral é de Elias Andreato e arranjos e direção musical de Jonatan Harold (indicado ao Prêmio Shell 2014 por este trabalho).

Ficha técnica e serviço:

Elenco: Carlos Moreno, Mira Haar, Adriana Fonseca e Helô Cintra (stand-in) Direção: Elias Andreato

Direção Musical e Arranjos: Jonatan Harold

Cenários e Figurinos: Mira Haar

Gerência Administrativa: Sonia Kavantan

Produção Executiva: Rosangela Longhi

Fotos: João Caldas

De 11 de abril a 3 de maio. Sábados e domingos às 18h30. Ingressos: R$ 40 (inteira); R$ 20 (meia). Teatro Eva Wilma. Rua Antonio de Lucena, 146 – Tatuapé. Telefones – 2090-1650 / 2293-8766. Capacidade: 690 lugares. Há estacionamento no local – valor nos dias do espetáculo: R$ 20,00. Horário: 18h30. Duração: 70min. Bilheteria do teatro: Quartas às sextas das 14h30 às 19h30.Sábados e domingos a partir das 14h30

Para ir além do teatro:

Figurinos de óperas estão expostas em vitrine da estação Marechal Deodoro do metrô. Os usuários do metrô que passarem pela estação Marechal Deodoro poderão visualizar figurinos de óperas encenadas no Theatro Sâo Pedro.

figurino

Um espaço foi reservado para receber os figurinos dos espetáculos que serão  apresentados no teatro ao longo de 2015.

A primeira peça em exposição, desde o último dia 10, é o vestido da personagem “La Contessa di Almaviva”, da ópera “As bodas de Fígaro”, de Mozart.

A cada mês a vitrine exibirá figurinos diferentes com cartaz explicativo sobre as óperas encenadas no teatro como nome, sinopse e personagens.

O objetivo é deixar o cotidiano dos passageiros menos estressante,  com atividades culturais diferentes e interessantes.

A programação completa pode ser acessada no site do Metrô

http://www.metro.sp.gov.br. Sempre são agendados shows, exposições e outras atrações culturais. É bom sempre dar uma olhadinha no site.

Em Ribeirão Preto/SP

 Exposição da Arte – A Atriz e Seu Tempo, em comemoração aos 50 anos de carreira da atriz Regina Duarte, chega ao Shopping Iguatemi, de Ribeirão Preto/ SP.

Regina Duarte

Os visitantes terão contato com figurinos, adereços e textos de personagens vividos pela atriz.

A exposição é cronológica e está dividida em 11 ambientes e traz, por exemplo, encontrar vestidos usados pelas personagens interpretadas por Regina Duarte nas novelas.

A sua trajetória no cinema e TV também está registrada na exposição. No ano passado a atriz finalizou a temporada do espetáculo Bem-vindo estranho, que passou por diversas cidades brasileiras.

Regina também chamou a atenção pelo seu excelente desempenho no filme Gata Velha Ainda Mia, de Rafael Primot (https://www.facebook.com/pages/Gata-Velha-Ainda-Mia/154552371370247) . Além disso, assinou a direção do espetáculo A Volta para Casa e está no elenco da atual novela das seis da rede Globo, Sete Vidas.

Serviço

Piso superior do Shopping Iguatemi Ribeirão Preto

Avenida Luiz Eduardo de Toledo Prado, 900 – Vila do Golf, Ribeirão Preto

Quando: de 14 de abril a 10 de maio

Horários: segunda a sexta, das 12h00 às 22h00, sábado, das 10h00 às 22h00 e domingos e feriados, das 12h00 às 20h00

Entrada: Gratuita

Curadoria do ator e artista plástico Ivan Izzo

https://espelhodaarte.wordpress.com/

Bom passeio!

 

 

 

Por Nanda Rovere10928848_440169949472329_4709229467753456317_n
Historiadora, jornalista e crítica teatral

nandarovere@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s