Menos de dez dias para o Natal! E chegou o dia das dicas culturais da Nanda Rovere

62345_626771990682667_805090594_n

Cia. Pessoal do Faroeste apresenta peça sobre o jornalista paraense Lúcio Flávio Pinto – TempoNorteExtremo

 

A companhia paulistana tem chamado a atenção pelos espetáculos que realiza, na medida em que trabalha com assuntos ligados à cidade de São Paulo, em especial a Região da Luz, onde está instalada há 16 anos.

Nesse novo trabalho, a Cia realiza uma peça documentário que coloca em evidência a trajetória do jornalista Lúcio Flávio Pinto, paraense que tem mais de 50 anos de profissão e mantém um jornal (Jornal Pessoal). A publicação não sobrevive com anúncios e sim com a venda avulsa nas bancas de revistas.

Para a criação do texto, assinado por Paulo Faria, que é irmão do jornalista, foram utilizadas duas obras como inspiração: Jornalismo na Linha de Tiro – primeiro ato, e A Eternidade no Riso e na música da Menina do Lago grande.

A montagem é dividida em duas partes: num primeiro momento, o dramaturgo-ator precisa desenvolver o roteiro para um workshop e colocar em evidência a vida do jornalista. Na segunda parte, Paulo divide a cena com a atriz Neuza Velasco, para tratar do Alzheimer.

A companhia está sediada na região da Luz e tem um papel importante no fomento de cultura numa região onde está situada a Cracolândia.

O grupo tem conquistado admiradores, que prestigiam os trabalhos. Esses artistas fazem com que o centro de São Paulo ganhe mais força no seu processo de revitalização, na medida em que promovem encontros entre as pessoas interessadas em arte e reflexões sobre assuntos que promovem questionamentos sobre o homem e o mundo atual.

Ficha Técnica

Realização: Pessoal do Faroeste

Direção: Edgar Castro

Elenco: Neuza Velasco e Paulo Faria

Autor: Paulo Faria

Figurino: Paulo Faria

Cenografia: Marcos Freitas e Paulo Faria

Vídeo: Dário José

Luz: Rodrigo Reis e Edgar Castro

Assistente de Direção e Operação Multimídia: David Guimarães

Assessoria de Imprensa: Adriana Monteiro – Artes e Ofícios

Até 18 de dezembro

Quarta a sexta, às 21h00 – Sábado, às 21h30 e Domingo, às 18h00

Duração – 60 minutos

Ingresso: pague quanto puder – contribuição voluntária

Local: Sede Luz do Faroeste

Rua do Triunfo, 305

11-33628883

WWW.pessoaldofaroeste.com.br

a primeira palavra

Para as crianças:

 

A Primeira Palavra

 

O espetáculo infantil do Grupo Instante está em cartaz na Funarte

Temporada até 20/12 – Sábados e domingos, às 16h00

O espetáculo marca a estreia do Grupo Instante no teatro infantil e integra a programação da Ocupação Funarte em virtude das comemorações dos 25 anos da Cia Razões Inversas, fundada pelo diretor Márcio Aurélio.

 

As atrizes Ana Carolina Godoy, Indy Tavares e Renata Maia vivem personagens que estão numa biblioteca e deixam a imaginação aflorar.

Através de uma experiência mágica, meninas vivenciam a descoberta do prazer pela palavra e aprendem como nascem os personagens e como são criadas as narrativas.

A peça busca mostrar para as crianças que ler é uma atividade deliciosa e mágica, valorizando além da leitura a capacidade de criação e reflexão sobre tudo que nos cerca.

Destaque para a trilha sonora, executada ao vivo pela autora Maria Cláudia Mesquita, que também compôs as duas canções tema do espetáculo.

Ficha Técnica e Serviço:

Direção : Dayane Porto

Texto : Maria Cláudia Mesquista

Supervisão artística: Paulo Marcello

Elenco: Ana Carolina Godoy, Indy Tavares e Renata Maia

Cenografia: Lu Grecco

Figurino e visagismo: Marichilene Artisevskis

Trilha sonora original : Maria Cláudia Mesquita e Daniel Maia

Direção Musical: Daniel Maia

Violão, voz e sonoplastia ao vivo: Maria Cláudia Mesquita

Narração: Dayane Porto

Fotos: Andreia Machado

Luz: Paulo Marcello

Assistente de iluminação: Silviane Ticher

Animação: Alex Fecchio

Costureira: Judite Gerônimo de Lima

Assessoria de Imprensa: Ofício das Letras – Adriana Monteiro

Produção executiva: Jean Carlo Cunha

Direção de produção: Paulo Marcello

Realização: Razões Inversas Marketing Cultural e Grupo Instante

Estreia em 7 de novembro, sábado, às 16h00

Temporada até 20/12 – Sábados e domingos, às 16h00

Funarte São Paulo – Sala Carlos Miranda

Al. Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo

CEP 01.216-001 – São Paulo, SP

Capacidade: 50 lugares

Duração – 50 minutos

Indicado para crianças a partir de 4 anos

Ingressos para as apresentações:

Espetáculo Infantil:

R$ 10 inteiro e R$ 5,00 meia (Estudantes, idosos, professores da rede pública e deficientes)

Próximo aos metrôs Santa Cecília e Marechal Deodoro

Estacionamento conveniado uma quadra após Funarte,  esquina com Av. São João.

Matéria veiculada também no www.deolhonacena.com.br

12239868_1265107220172056_611886896387962966_n

 

Teatro no Rio:

 

Ideia Fixa é texto inédito de Adriana Falcão. Integram o elenco: Guta Stresser, Sílvia Buarque e Rodrigo Penna. Última semana.

Na trama, duas mulheres foram abandonadas por um homem, mas o amor continua. As lembranças ainda estão muito vivas.  O homem segue com a sua vida, mas elas ainda sofrem com o abandono e a saudade sufoca.

“Por que ele se foi?”

“Será que ele volta?”

“Será que eu espero?”

“Ou não espero?”

“O que fazer de mim assim, sem chão, sem alegria, sem esperança, sem perspectiva?”

Uma matéria sobre a estreia, no Teatro Poeira, Rio de Janeiro:

http://www.heloisatolipan.com.br/teatro/adriana-falcao-aborda-o-periodo-pos-termino-em-ideia-fixa-sua-primeira-obra-para-os-palcos-e-comenta-nessa-hora-varios-sentimentos-sao-universais/

Não conferi, pois resido em São Paulo, mas pela equipe, elenco e autora, artistas de muito talento, não podia deixar de indicar a peça.

FICHA TÉCNICA:

Autor: Adriana Falcão

Direção: Henrique Tavares

Atores: Guta Stresser, Sílvia Buarque e Rodrigo Penna

Trilha Sonora: Clarice Falcão, Ricco Vianna e Rodrigo Penna

Cenário e Figurinos: Ronald Teixeira

Iluminação: Beto Bruel

Design: Ronaldo Alves

Registro Videográfico: Oliver Juric

Ass. Direção: Alfredo Boneff

Fotógrafa: Nil Caniné

Visagista: Chico Toscano

Assessoria de Imprensa: Rafael Barcellos / Stratosfera Comunicação

Operador de Luz:  Walace Furtado

Operador de Som: Andrey Brandão

Contra-regra: Ricardo da Silva

Dir. de Produção: Cássia Vilasbôas

Coord. de Produção: Fernando Duarte

Assistente Produção: Mayara Maia

Adm. Financeira: Karime Kawaja

Assessoria Jurídica: Jonas Vilasbôas

Produção: NOVE Produções

Co-Produção: DOM Produções

Realização: Chevalier De Pas, NOVE Produções, Guta Stresser e Sílvia Buarque.

Horário: Quinta a Sábado 21h00 Domingo 19h00. Ingressos: R$ 60 (inteira) R$ 30 (meia).  Ingressos à venda: Ingresso.com. Bilheteria do Teatro: (21) 2537-8053. Capacidade: 140 lugares. Indicação Etária: 12 anos.Gênero: Comédia Romântica.

chico

Para ir além do teatro:

 

Documentário  Chico-artista brasileiro

Chico honra a nossa cultura com a sua sensibilidade para a música, literatura e dramaturgia

Falar da importância de Chico Buarque para a nossa cultura creio que não seja preciso, mas como historiadora, ressalto o quanto as suas canções foram um grito contra a ditadura – de maneira poética e colocando em evidência a luta contra a opressão, a violência, e mesmo a ignorância das autoridades.

Nesse documentário, Chico relembra a sua trajetória, mostra detalhes do seu cotidiano e cita como funciona o seu processo criativo.

Artistas também interpretam as suas composições, entre eles, Milton Nascimento, Carminho, Adriana Calcanhotto, Mart’nália, Laila Garin, Péricles e Ney Matogrosso.

Matéria no http://www.deolhonacena.com.br/index.php?pg=4ab&sub=39#linha

Para ver os cinemas em que o filme está em cartaz:

https://www.facebook.com/ChicoArtistaBrasileiro/?fref=ts

vila de natal

VILA DE NATAL –  Memorial da América Latina, São Paulo, SP
De 11 a 27 dezembro de 2015

Das 16h00 as 22h00
Show Luis Felipe Gama & Ana Luiza (27, 19h00)

Árvore de Natal, casa do Papai Noel, roda gigante, pet drive, joaninha, arena elástica, trenzinho e brinquedos cobertos, praça de alimentação, artesanatos. Em frente ao Salão de Atos haverá um palco para apresentação de autos de Natal e outros shows musicais.

Para divertir-se nos brinquedos, o ingresso será de R$ 10,00.

A entrada é gratuita para o público pelos portões 1 e 2 da Praça Cívica. A Vila de Natal funcionará todos os dias, de segunda a sábado, das 16h00 às 22h00; domingos e dias 24 e 25, das 14h00 às 20h00.

Serviço

Vila de Natal do Memorial

Memorial da América Latina (metrô Barra Funda)

Praça Cívica – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – entrada pelos portões 1 e 2

Até 27 de dezembro

Entrada gratuita

Estacionamento: portões 4, 8 e 15

http://www.memorial.org.br/

usina junqueira

Museu resgata história da região de Ribeirão Preto

Localizado no núcleo residencial da Fundação Sinhá Junqueira, o Museu Nossas Raízes, em Igarapava, será aberto ao público em janeiro de 2016.

Visitações pedagógicas agendadas para escolas municipais já começaram. Mais informações sobre os agendamentos podem ser obtidas pelo telefone (16) 3172-4222.

O objetivo é resgatar a história da região de Ribeirão Preto, a partir da instalação da Usina Junqueira, em 1910. O local marcou a decadência da cafeicultura e o crescimento  da produção do açúcar e do álcool na região nordeste do Estado.

Entre os destaques do acervo, vale citar a primeira balança Toledo que chegou ao Brasil, documentos e fotos que abordam a cafeicultura e a atividade sucroalcooleira.

O ambiente revisita a trajetória do Coronel Quito e sua esposa, Theolina de Andrade Junqueira, a Sinhá Junqueira, que são nomes de importância na história da Usina, porque realizaram um trabalho social para os funcionários.

Outro destaque do Museu é a sala denominada “Um futuro, hoje”, onde os visitantes poderão conhecer as conquistas e desafios do passado para refletir sobre a construção do futuro. A visita pode ser feita com a companhia de monitores.

Para a Diretora do Departamento de Turismo de Igarapava, Rosalina Moreira Leal, o Museu é um marco para a cidade.

“Pra gente é extremamente importante este projeto em parceria. O espaço foi revitalizado, é moderno, as crianças que tiveram a oportunidade de visitar ficaram encantadas, pois muitas não conheciam o Museu”.

Para conhecer os projetos da Fundação Sinhá Junqueira, acesse:

http://www.sinhajunqueira.org.br/

Sobre a região: www.altamogiana.tur.br/igarapava/

spcidades.com.br/cidade.asp?codigo=427

www.igarapava.sp.gov.br/

Encontro de Altamira  Altamira - PA 1989 Crédito Nair Benedicto/N Imagens Interferência na foto feita pela autora em 2013
Encontro de Altamira Altamira РPA 1989 Cr̩dito Nair Benedicto/N Imagens
Interferência na foto feita pela autora em 2013

Exposição de fotógrafos renomados em São Paulo 

A renomada fotógrafa Nair Benedicto apresenta imagens históricas e registros inéditos na exposição Por debaixo do Panona Casa da Imagem. 

De 7 de novembro de 2015 a 7 de fevereiro de 2016 

¨Na sala da sua casa, no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, Nair Benedicto me diz que nunca fez uma fotografia para ser a mais importante de todas as imagens: “Quero que seja a melhor representação do que estou vendo. Se você se liberta de tudo, a fotografia acontece. Foi dali, próximo à janela, que foram feitas as duas últimas imagens que estão em Por Debaixo do Pano: uma cena impregnada de cinza paulistana, entre fuligem e capitalismo, com quase nenhum reflexo do janelão vazado por onde se vê o lado de fora da rua invertido, os prédios de cabeça para baixo. A fotografia foi pensada para finalizar a série sobre a ditadura militar. Foi daquela forma, presa ao pau de arara, que Nair Benedicto foi torturada, em 1969. Lá, sem nenhuma chance, ela enxergava o mundo ao redor virado ao contrário. Portanto, a série de imagens invertidas foi concebida para não esquecermos que cicatrizes não se transferem e que, depois desse período de ‘guerra’ pelo qual passamos, tivemos que espremer a liberdade para não sermos transformados em coisa pela sombra monstruosa dos que nos perseguiram durante 21 anos seguidos. Livre, Nair Benedicto escreveu sua história com as próprias mãos.¨http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/casa_da_imagem/noticias/index.php?p=19156

O fotógrafo Daniel Malva apresenta a exposição A medida do tempo das coisas. Integram o acervo imagens inéditas da nova série O Jardim,  ao lado de obras de Museu de História Natural, no Solar da Marquesa.

Natural de Ribeirão Preto (SP), Daniel Malva busca novas abordagens para a sua arte. Altera os sistemas óticos de seus equipamentos, constrói lentes com objetos inusitados, cria novos reveladores de filme e muda o software de câmaras digitais.

Cerca de 70 fotografias, entre elas a da série inédita O Jardim, podem ser vistas na exposição.

Obs: Há estacionamentos particulares na região. Se for de metrô, descer na Estação Sé.

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/noticias/?p=19151

neruda (1)

Deixo você com poesias do Pablo Neruda

 

POEMA 1 – CORPO DE MULHER

Corpo de mulher, alvas colinas, coxas brancas,

Ao mundo te assemelhas em teu ato de entrega.

O meu corpo selvagem de camponês te escava

E faz saltar o filho das entranhas da terra.

Fui um túnel vazio. De mim fugiam pássaros

E a noite me infiltrava sua invasão resoluta.

Para sobreviver forjei-te qual uma arma,

Uma flecha em meu arco, e pedra em minha funda.

Tomba porém a hora da vingança, e eu te amo.

Corpo de pele, de musgo, de leite ávido e firme.

Ah os vasos do peito! Ah os olhos da ausência!

Ah as rosas do púbis! Ah tua voz lenta e triste!

Corpo de mulher minha, persisto em tua graça.

Minha ânsia sem limites, meu caminho indeciso!

Sulcos escuros onde a sede eterna corre,

Onde a fadiga corre, e a dor esse infinito.

PABLO NERUDA

In Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, 192

 

A EMOÇÃO FUGITIVA

Vamos buscando a emoção

que não podemos encontrar

neste tédio sempre igual

que nos envolve o coração.

Enfermos deste eterno mal

que antes que nasça algum amor

alegrará com sua canção

esta amarga solidão,

o matará com sua dor

que soa como perpétuo

e lento toque de maldade

dentro do nosso coração.

 

Vamos buscando a emoção

que não podemos encontrar

e desejamos com ardor.

PABLO NERUDA

In Cadernos de Temuco, 2004

Trad. Albano Martins

 

AMOR

Mulher, teria sido teu filho, para beber-te

o leite dos seios como de um manancial,

para olhar-te e sentir-te a meu lado e ter-te

no riso de ouro e na voz de cristal.

Para sentir-te nas veias como Deus num rio

e adorar-te nos ossos tristes de pó e cal,

para que sem esforço teu ser pelo meu passasse

e saísse na estrofe — limpo de todo o mal —.

Como saberia amar-te, mulher, como saberia

amar-te, amar-te como nunca soube ninguém!

Morrer e todavia

amar-te mais.

E todavia

amar-te maise mais.

 

PABLO NERUDA

In Crepusculário, 1923

Tradução de Rui Lage

 

AMIGO

1.

Amigo, toma para ti o que quiseres,

passeia o teu olhar pelos meus recantos,

e se assim o desejas, dou-te a alma inteira,

com suas brancas avenidas e canções.

2.

Amigo — faz com que na tarde se desvaneça

este inútil e velho desejo de vencer.

Bebe do meu cântaro se tens sede.

Amigo — faz com que na tarde se desvaneça

este desejo de que todas as roseiras

me pertençam.

Amigo,

se tens fome come do meu pão.

 

3.

 

Tudo, amigo, o fiz para ti. Tudo isto

que sem olhares verás na minha casa vazia:

tudo isto que sobe pelos muros direitos

— como o meu coração — sempre buscando altura.

Sorris-te — amigo. Que importa! Ninguém sabe

entregar nas mãos o que se esconde dentro,

mas eu dou-te a alma, ânfora de suaves néctares,

e toda eu ta dou… Menos aquela lembrança…

… Que na minha herdade vazia aquele amor perdido

é uma rosa branca que se abre em silêncio…

PABLO NERUDA

In Crepusculário, 1923

Tradução de Rui Lage

 

Boa tarde!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s