Primeiras dicas culturais de maio

13124532_1059018194158317_2329040100001249143_n

Sobre Ratos e Homens

A peça estreia no Teatro da Faap após temporada no Sesc Bom Retiro

A peça de John Steinbeck (ganhador do Prêmio Nobel) é dirigida por Kiko Marques e conta a história de George (Ricardo Monastero) e Lennie (Ando Camargo), dois amigos bem diferentes. George é esguio e esperto; Lennie é forte, muito ingênuo e tem atraso mental.

Querem trabalhar para comprar um pedaço de terra, mas precisam enfrentar a realidade nua e crua. Encontram muitas pessoas boas, mas também têm que conviver com a maldade de Curley, o filho do patrão, e sua esposa.

Lennie não tem ideia da força física que possui e está sempre se envolvendo em brigas e confusões.

Uma tragédia pode prejudicar a vida de Lennie e só a amizade pode trazer de volta o sonho.

Steinbeck escreveu a obra em 1937 e desde então ela ganhou diversas adaptações para o teatro e também versão cinematográfica.

Ando Camargo, idealizador do projeto, apresentou o texto a Ricardo Monastero faz quatro anos e a montagem começou a ser produzida imediatamente.

O diretor Kiko Marques ( de Cais ou Da Indiferença das Embarcações e Valéria e os Pássaros ) conta que Sobre Ratos e Homens foi um dos primeiros romances que leu.

Só percebeu que o romance havia exercido grande influência sobre a sua vida, no entanto, quando recebeu o convite para dirigir o espetáculo. ¨Veio-me então à cabeça tudo o que senti, pensei e fiz a partir da história dos dois amigos e seu sonho e o quanto fui tocado por ela. Hoje, diante da tarefa de transpor esse encontro para o palco, entendo esses dois personagens e sua trajetória como parte do conteúdo arquetípico que nos forma. Assim como é impossível ler Dom Quixote sem ter a certeza, desde as primeiras páginas, de já conhecermos profundamente aquele senhor magro montado em seu cavalo e seu fiel escudeiro, também em Ratos e Homens é impossível não ter para com Lennie e George, uma afinidade onírica e um pacto de amizade eterna.”, comenta o diretor.

Observações críticas

http://www.deolhonacena.com.br/index.php?pg=3a1b&sub=30#linha

Ficha Técnica – Sobre Ratos e Homens

Direção artística: Kiko Marques.

Elenco: Natallia Rodrigues, Ricardo Monastero, Ando Camargo, Luiz Serra (que participou da montagem de Boal), Gustavo Vaz, Cássio Inácio, Luciano Schwab, Tom Nunes.

Produção de elenco: Renata Medeiros.

Cenografia: Marcio Vinicius.

Figurinos: Fabio Namatame.

Iluminação: Guilherme Bonfanti.

Trilha sonora: Martin Eikmeier.

Visagismo: Rafael Cardoso.

Assistência de produção: Kauê Telloli Direção de produção: Antonio Ranieri. Assistência de produção: Mari Rocha. Coord. Administrativa: Andreia Porto

Gestão sustentável: Celso Monastero. Marketing e inovação: Guto Garrote. Produção: Dendileão Produções Artísticas.

Serviço – Sobre Ratos e Homens

Estreia: 04 de maio até 30 de junho

Duração: 100 minutos

Censura: 14 anos

Lotação: 500 lugares

Teatro FAAP – Rua Alagoas. 903 – Higienópolis.

Telefone: (11) 3662 7233

Temporada: Quartas e quintas às 20h

Valores: R$ 40 inteira. R$ 20,00 meia.

Bilheteria: de quarta a sábado das 14h-20h/ segunda e terça fechado e domingo das 17h às 20h. Em dias de espetáculo, a bilheteria fica aberta até o início da apresentação.

Acesso para deficientes, Ar condicionado. Até 30 de junho.

https://www.facebook.com/ratosehomens/?fref=ts

5

O deus da cidade é um espetáculo inspirado nos gêneros tradicionais como circo-teatro, o teatro de revista e o espetáculo de variedades.

No palco, cenas aparentemente independente traçam o cotidiano de pessoas que retratam dilemas do mundo moderno.

Para a criação da dramaturgia, utilizaram como primeira inspiração obras do alemão Bertolt Brecht e do Teatro de Revista, para depois o dramaturgo Cássio Pires criar uma dramaturgia inédita. ¨Quando a companhia se aproximou dele, foi para buscar certos mecanismos de linguagem que permitem lidar com contradições sociais. Depois desse momento, começamos a fazer tentativas a partir de nossas perspectivas, de nossas perguntas sobre o mundo em seu atual estágio de desenvolvimento. Então, nesse sentido, Brecht foi um ponto de partida, não exatamente um ponto de chegada”, comenta o dramaturgo.

Sinopse

“O deus da cidade” é composto por quadros que pretendem expor algumas das contradições dos tempos atuais. Na peça, cenas fabulares, líricas e musicais acentuam o caráter de personagens que reagem ao mundo de acordo com seus próprios valores, quaisquer que sejam eles.

Ficha Técnica

Dramaturgia: Cássio Pires Gênero: Drama. Direção: Fernando Neves. Direção musical e pianista: Fernando Esteves. Elenco: Carlos Ataíde, Cris Rocha, Eduardo Reyes, Erica Montanheiro, Katia Daher, Marcelo Andrade, Rafaela Penteado, Simone Evaristo, Silvia Poggetti e Zé Valdir. Cenografia: Fernando Neves, Marcelo Andrade e Zé Valdir. Iluminação: Eduardo Reyes. Figurino: Carol Badra e Leopoldo Pacheco. Fotografia: Ligia Jardim. Direção de produção: Eduardo Reyes. Produção: Os Fofos Encenam – Cooperativa Paulista de Teatro. Realização: Programa Municipal de Fomento ao Teatro – Prefeitura de São Paulo – Secretaria de Cultura

Serviço

Espaço dos Fofos – Rua Adoniran Barbosa, 151, Bela Vista – SP – CEP: 01318-020. Fone: (11) 3101.6640. Temporada: 18 de março a 11 de abril. Sessões: sextas, sábados e segundas: 21h. Domingo: 19h. De 15 de abril a 22 de maio: sextas e sábados às 21h e domingos às 19h.  Indicação etária: não recomendado para menores de 16 anos. Duração: 100 minutos. Capacidade: 54 lugares. Ingressos: R$ 20,00 / R$ 10,00. Cartões: aceita todos os cartões. Meia entrada: para estudantes, professores da rede pública, maiores de 60 anos e classe teatral. Acessibilidade. Classificação etária: 16 anos. Até 29 de maio.

Algumas observações: http://www.deolhonacena.com.br/index.php?pg=3a2b&sub=54#linha

SITE-606x183

Esperando Godot , um dos textos mais conhecidos do dramaturgo e escritor irlandês Samuel Beckett, ganha montagem com direção de Léo Stefanini.

A crítica social bem-humorada, com personagens inertes diante das barreiras do mundo e, consequentemente sem perspectivas, ganha uma roupagem moderna nas mãos de Stefanini.

Nesse trabalho, o diretor faz uso de modernos recursos de multimídia, sem deixar de lado técnicas tradicionais de humor e referências do autor com relação ao cenário.

O cenário, assinado por dois artistas plásticos, traz os elementos citados por Beckett em Esperando Godot: A “pedra” foi concebida pelo mineiro Chico Togni e a “árvore” pelo renomado Henrique Oliveira.

Stefanini destaca a singeleza dos personagens.  “O que esperar em um momento em que as ilusões parecem escassas, em que as utopias fenecem. Há uma luz no fim do túnel. Esperamos por Godot. E quando ele chegar, estaremos salvos”, afirma o diretor.

O Tradutor da montagem, o Doutor em Letras e Professor de literatura na USP, crítico literário e pesquisador da obra de Beckett, Fábio de Souza Andrade, destaca a grande importância do autor para a história do teatro mundial, classificando a sua obra como “desconcertante e plural, decisiva para a reinvenção da arte moderna”.

A atriz Cacilda Becker protagonizou uma marcante  montagem assinada por Flávio Rangel, no papel de Estragon.  Foi nessa produção que a atriz sofreu um derrame cerebral ainda no palco e faleceu após permanecer 38 dias em coma no Hospital São Luís, em São Paulo.

Para homenageá-la, o figurino que a atriz usou na histórica montagem estará em exposição no saguão do Teatro.

Sinopse:

Esperando Godot, peça escrita em 1948, é um clássico da dramaturgia mundial, que mistura comédia, humor fino e uma pungente imagem do destino humano. Nessa obra, dois vagabundos, Vladimir e Estragon, esperam em vão a chegada de um personagem enigmático, Godot, símbolo do inalcançável.

Crítica no De olho na cena:  http://www.deolhonacena.com.br/index.php?pg=3a1b&sub=28#linha

Ficha Técnica:

TEXTO: Samuel Beckett

ELENCO: Ary França, Fábio Espósito, Fernando Paz e Eugênio La Salvia.

Apresentando: Gregório Musatti

DIREÇÃO: Léo Stefanini

ASSISTÊNCIA DE DIREÇÃO: Giovani Tozi

DIREÇÃO MUSICAL E TRILHA ORIGINALMENTE COMPOSTA: Rafael Faustino

MÚSICA AO VIVO: Rafael Faustino, Fernando Paz e Eugênio La Salvia

CENOGRAFIA: Ricardo Masseran

FIGURINO: Letícia Barbieri

DESENHO DE LUZ: Pedro Garrafa

ILUSIONISMO: Cláudio Grassi

ARTE GRÁFICA: Giovani Tozi

FOTOGRAFIA: Paulo Emílio Lisboa

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Morente Forte Comunicações

Serviço:

Duração: 90 minutos

A partir de 10 de Maio no Teatro FAAP, toda terça, às 21h00

Teatro FAAP (500 lugares)

Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.

http://www.teatrofaap.com.br

Bilheteria: de quarta à sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.

Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Terças às 20h00

Ingressos:

R$ 50

Duração: 90 minutos

Recomendação: 12 anos

Estreou dia 05 de Abril de 2016, no Teatro Sérgio Cardoso

A partir de 10 de Maio

Temporada: até 26 de Julho

2

No Rio

Os Sonhadores é uma peça baseada no romance The Dreamers do poeta, crítico de cinema e jornalista escocês, Gilbert Adair.

A obra foi adaptada para o cinema e dirigida por Bernardo Bertolucci.

Na trama, três jovens cinéfilos se enclausuram num apartamento durante uma revolução política e cultural.

No apartamento, alienação, pureza e jogos relacionados ao mundo cinematográfico; na rua, manifestações que clamam por uma reforma nas leis trabalhistas, liberdade no universo escolar e acadêmico e uma sociedade sem opressão.

“A dramaturgia busca atravessar a Paris de 1968 no intuito de encontrar pertinência, universalidade e atemporalidade nas questões abordadas, rastreando implicações contemporâneas,e se perguntando sobre como assumir posicionamento frente às demandas da vida em sociedade”, diz Diogo Liberano.

Ficha Técnica:

Dramaturgia: Diogo Liberano, a partir do romance The Dreamers de Gilbert Adair
Direção: Vinicius Arneiro
Elenco: Bernardo Marinho, Igor Angelkorte e Juliana David
Co-Dramaturgia: Dominique Arantes
Diretora Assistente: Morena Cattoni
Direção Musical: Tato Taborda
Cenário: Aurora dos Campos
Direção de Imagens: Allan Ribeiro
Figurino: Graziela Bastos
Iluminação: Rodrigo Belay
Design: Radiográfico
Assessoria de Imprensa: Ney Motta
Produção Executiva: Camila Martins Ribeiro e Marcelo Cabanas | Bateia Cultura
Coordenação Administrativa: Jéssica Araújo
Direção de Produção: Liliana MontSerrat
Apoio Cultural: Oi

Serviço:
Sinopse: Três jovens cinéfilos se enclausuram num apartamento durante uma revolução política e cultural. Do lado de fora uma série de manifestações. Do lado de dentro a pureza, jogos sobre películas, as intensidades e a alienação.
Dramaturgia de Diogo Liberano, a partir do romance The Dreamers de Gilbert Adair
Direção de Viniciús Arneiro
Elenco: Bernardo Marinho, Igor Angelkorte e Juliana David
Local: Oi Futuro Ipanema – Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema (tel. 21 3131-9333)
Estreia: 9 de abril, sábado, às 20h
Temporada: 9 de abril a 29 de maio, quinta a domingo às 20h
Ingresso: R$ 30,00 (inteira)
Classificação: 18 anos
Gênero: Drama

4

Vem aí:

São Paulo

American Idiot, o musical chega em 2017

American Idiot é um musical baseado numa ópera-rock lançada em 2004, na qual a banda pop-punk Green Day critica George W. Bush na presidência dos EUA e sua ofensiva contra o terrorismo, com ataques ao Iraque.

O musical estreou na Broadway em 2010. A versão brasileira será dirigida por Mauro Mendonça Filho.

Estão confirmados para os bastidores o diretor musical Carlos Bauzys e a coreógrafa Daniella Visco.

Mais informações no site http://www.americanidiot.com.br/

233246a15criacaodesitescrisoft

Gilberto Gil é um artista que cria poesias através de músicas e letras lindas e super atuais

Um Sonho

Gilberto Gil

 

Eu tive um sonho

Que eu estava certo dia

Num congresso mundial

Discutindo economia

 

Argumentava

Em favor de mais trabalho

Mais emprego, mais esforço

Mais controle, mais-valia

 

Falei de pólos

Industriais, de energia

Demonstrei de mil maneiras

Como que um país crescia

 

E me bati

Pela pujança econômica

Baseada na tônica

Da tecnologia

 

Apresentei

Estatísticas e gráficos

Demonstrando os maléficos

Efeitos da teoria

 

Principalmente

A do lazer, do descanso

Da ampliação do espaço

Cultural da poesia

 

Disse por fim

Para todos os presentes

Que um país só vai pra frente

Se trabalhar todo dia

 

Estava certo

De que tudo o que eu dizia

Representava a verdade

Pra todo mundo que ouvia

 

Foi quando um velho

Levantou-se da cadeira

E saiu assoviando

Uma triste melodia

 

Que parecia

Um prelúdio bachiano

Um frevo pernambucano

Um choro do Pixinguinha

 

E no salão

Todas as bocas sorriram

Todos os olhos me olharam

Todos os homens saíram

 

Um por um

Um por um

Um por um

Um por um

 

Fiquei ali

Naquele salão vazio

De repente senti frio

Reparei: estava nu

 

Me despertei

Assustado e ainda tonto

Me levantei e fui de pronto

Pra calçada ver o céu azul

 

Os estudantes

E operários que passavam

Davam risada e gritavam:

“Viva o índio do Xingu!

 

“Viva o índio do Xingu!

Viva o índio do Xingu!

Viva o índio do Xingu!

Viva o índio do Xingu!”

 

Para ouvir:

https://www.youtube.com/watch?v=B4Ev-m2hf1U

 

Toda saudade

Gilberto Gil

 

Toda saudade é a presença

Da ausência de alguém

De algum lugar

De algo enfim

Súbito o não

Toma forma de sim

Como se a escuridão

Se pusesse a luzir

Da própria ausência de luz

O clarão se produz

O sol na solidão

 

Toda saudade é um capuz

Transparente

Que veda

E ao mesmo tempo

Traz a visão

Do que não se pode ver

Porque se deixou pra trás

Mas que se guardou no coração

 

Para ouvir:

https://www.youtube.com/watch?v=hKnF293ERNA

 

Ah últimos dias em sampa:

Gilberto Gil Aquele Abraço – O Musical 

MARAVILHOSO! Pura poesia!

Para saber mais:

http://www.deolhonacena.com.br/index.php?pg=3a1b&sub=23#linha

Até 15 de maio de 2016

Horários: Quinta e Sexta às 21h00; Sábado às 21h30; Domingo às 18h

Local: Teatro Procópio Ferreira (Rua Augusta, 2823 – Jardins, São Paulo)

Duração: 105 min

Capacidade: 636 lugares

Preços dos Ingressos: Setor 1 – R$120,00; Setor 2 – R$50,00. Vendas pela bilheteria do teatro ou no site http://www.ingressorapido.com.br. Mais informações no telefone (11) 3083-4475.

Ficha Técnica:

Autoria e Direção Geral: Gustavo Gasparani

Cenografia: Helio Eichbauer

Figurino: Marcelo Olinto

Iluminação: Paulo Cesar Medeiros

Elenco: Alan Rocha, Cristiano Gualda, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Luiz Nicolau, Pedro Lima, Rodrigo Lima

https://www.facebook.com/GilbertoGilAqueleAbraco/?fref=ts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s